Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SAÚDE EM ALERTA

Casos da gripe A superam os registrados na pandemia de 2009

Casos da gripe A superam os registrados na pandemia de 2009
03/07/2012 00:02 - ANAHI ZURUTUZA


A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) confirmou, por meio de exame laboratorial, 54 casos de gripe A (H1N1) até agora em Campo Grande. O número é 50% maior que o registrado em 2009, quando houve pandemia da doença, que teve 36 casos confirmados. A Capital estava, também, há dois anos sem registrar óbitos em decorrência da gripe suína, que já matou três pessoas e pode ter feito, pelo menos, mais duas vítimas este ano na cidade.

Em 2009, nove pessoas morreram na Capital. Embora as autoridades em Saúde Pública insistam em dizer a gripe A está sendo tratada como as outras gripes, os números representam alerta. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Leandro Mazina, as gripes são cíclicas, ou seja, atingem mais pessoas e de forma mais grave de tempos em tempos. Tanto que em 2010 e em 2011 não houve óbitos na Capital.

Bebê

Vinte dias após vir ao mundo em um parto cesariana de emergência, na 28ª semana de gestação e perder a mãe, Glaucia Sales de Melo, 25, em decorrência de complicações causadas pela gripe suína, João Lucas permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital Regional e sua recuperação está dentro do esperado.

Diariamente, o bebê recebe a visita da avó Marli Sales de Araújo, que no último fim de semana conseguiu ter contato físico com o neto pela primeira vez. “Toquei nele e falei que a mãe dele foi para Jesus, mas que a vovó está aqui e é para ele reagir, lutar e ganhar peso”, comentou, emocionada.

Leia mais no jornal Correio do Estado

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.