Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CAMPO GRANDE

Carro que matou segurança estava em alta velocidade, dizem policiais

Carro que matou segurança estava em alta velocidade, dizem policiais
31/05/2012 12:10 - CELSO BEJARANO e Gabriel Maymone


Policiais militares disseram que viram o veículo do acadêmico de direito Richard Ildivan Gomide Lima, de 21 anos, passar em alta velocidade e logo em seguida ouviram um forte barulho, por volta das 4h desta madrugada, na Avenida Afonso Pena. Ele colidiu na traseira da motocicleta do segurança David Del Valle Antunes, de 31 anos, que morreu na hora.

O estudante foi autuado por homicídio doloso pelo delegado Divino Mendonça, da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro. O jovem nega que estaria embriagado mas, mesmo tendo se recusado a fazer o teste do bafômetro, no boletim de ocorrência da PM consta que ele mal conseguia parar em pé e apresentava forte odor de álcool.

Conforme relatado por Richard ao delegado, ele disse que estava comendo carne de carneiro na casa de um tio e que todo mundo estava bebendo, exceto ele, que seria o motorista da rodada. No momento do acidente, o rapaz havia deixado alguns amigos em suas residências e voltava para casa.

O estudante continua preso e deve ser transferido para outra unidade da polícia, conforme determinação da Agência Penitenciaria (Agepen). A vítima trabalhava como segurança em um bar na Afonso Pena e morreu na hora com fratura exposta na perna e traumatismo craniano.

Motociclista foi arremessado cerca de 30 metros do local da colisão - Foto: Paulo Ribas / Correio do Estado

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.