Quinta, 22 de Fevereiro de 2018

Estudo

Carne vermelha aumenta risco de derrame em mulheres

5 JAN 2011Por Veja02h:45

Mulheres que abusam da carne vermelha processada (como presunto, toucinho, linguiça, salsicha) podem estar colocando sua saúde em perigo. De acordo com um estudo conduzido pelo Instituto Nacional de Medicina Ambiental, do Instituto Karolinska, na Suécia, mulheres que consomem, em média, o equivalente a um bife todos os dias tem 22% mais riscos de sofrerem um derrame.

Em 1997, a equipe do Karolinska, liderada pela pesquisadora Susanna Larsson, acompanhou 34.670 mulheres que não sofriam de doenças cardiovasculares nem de câncer. Dez anos depois, eles detectaram que 1.680 delas haviam tido derrame - dessas, a maioria consumia cerca de 100 gramas de carne vermelha diariamente. Mas os riscos se mostraram ainda maiores entre aquelas mulheres que consumiam 150 gramas do alimento. Para elas, o risco subia para 42%, já que o maior consumo do alimento atrapalhava o fluxo do sangue no cérebro.

Os cientistas não conseguiram detectar, no entanto, por que a carne vermelha tem esse efeito prejudicial na mulher. “Ainda existem muitas dúvidas a serem esclarecidas. Mas sabemos que a carne vermelha aumenta os níveis de colesterol e os riscos de entupimento das veias”, disse o médico Daniel Lackland, professor de epidemiologia da Universidade da Carolina do Sul, nos Estados Unidos.

Composição – A carne vermelha processada contém altos níveis de sódio e triglicerídios, que podem ser os responsáveis por aumentar as chances de se ter um acidente vascular cerebral. Quando preparada na grelha, a carne perde parte da sua gordura, diminuindo, assim, os riscos. “Quanto mais carne você come, maiores os riscos de um derrame”, destacou Lackland.

Leia Também