quarta, 18 de julho de 2018

Alta

Carne suína fica mais cara com a chegada do Natal

22 NOV 2010Por Cícero Faria, Dourados00h:10

A forte alta da carne bovina nas últimas semanas em Mato Grosso do Sul e a aproximação das festas natalina e de final de ano estão puxando para cima as cotações do suíno/quilo/vivo nas três principais praças estaduais: Campo Grande, Dourados e São Gabriel do Oeste. Em Dourados, o quilo do porco inteiro é diversificado, dependendo da origem, mas não sai por menos de R$ 8. Um leitão de 15 quilos, por exemplo, custará em torno de R$ 120, mas serve um bom número de pessoas.

Esse movimento altista já era esperado pelos suinocultores e pela indústria diante do aumento do consumo da carne suína neste período. O leitão assado inteiro no forno ou no carvão é um dos pratos preferidos. Mas o pernil, a paleta e a costela são cortes muito procurados nesta época.

Suinocultores douradenses disseram que neste Natal esperam maior procura pelo produto, porque a carne bovina está muito cara.

De acordo com a Associação Sul-Mato-Grossense de Suinocultores (Asumas) na semana comercial, aberta na última sexta-feira, o quilo do suíno/vivo ao integrado da Seara em Dourados estava a R$ 2,55, mais a bonificação de 7%, contra os R$ 2,50 da semana anterior. Ao cooperado da Aurora, em São Gabriel do Oeste, o preço do quilo/vivo pago é de R$ 2,70, mais a bonificação de 8%.

O suinocultor independente de Campo Grande recebe R$ 3,00 pelo quilo/vivo, enquanto na semana comercial anterior estava a R$ 2,85. Já o produtor incentivado passou de R$ 3,05 para R$ 3,20 pelo suíno inteiro.

Caipira
Além dos chamados suínos industriais, que atendem os médio e grandes frigoríficos ou abatedouros locais, também os animais caipiras criados em sítios e fazendas são muito procurados no fim do ano para a ceia de Natal e do Réveillon. Assim como os outros, os caipiras, em geral abatidos sem inspeção, também estão com preços mais altos.

Leia Também