Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 24 de fevereiro de 2019 - 02h11min

Carnê do IPTU confunde os contribuintes

27 JAN 10 - 07h:50CARLOS HENRIQUE BRAGA
A falta de informações nos carnês sobre a forma parcelada do pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) confunde os contribuintes em Campo Grande. Os boletos chegam às casas com dois valores: o primeiro representa o valor total do imposto, com desconto de 20% para pagamento à vista e um cupom para sorteio de prêmios; o outro é para pagamento parcelado em até 10 vezes, com desconto de 10%. A primeira parcela, única especificada no boleto, é maior do que as outras e, ao fazer as contas, o campo-grandense pode pensar que vai pagar ainda mais se parcelar seus débitos. Um exemplo para ilustrar a confusão: a primeira parcela que consta em um carnê no valor total de R$ 2.001,48, com desconto de 10%, é de R$ 195,35. Ao bater o olho no valor, o contribuinte multiplica a primeira parcela por dez e imagina que pagará, no total parcelado, R$ 1.953,50. Porém, o valor desse carnê, com o desconto de parcelamento, é de R$ 1.801,33. A dúv id a só term i n a quando o atendente do disque IPTU (156) informa as demais parcelas no valor de R$ 178,45 que não estavam especificadas no boleto. No fim das contas, o desconto real é de 10%, se parcelado, mas a prefeitura quer que você ligue ou procure uma central de atendimento para saber o valor de suas parcelas. Segundo o secretário de Planejamento, Finanças e Controle de Campo Grande, Paulo Sérgio Nahas, a cobrança parcelada do IPTU – na qual a primeira parcela é mais alta que as demais – “é geralmente assim, o sistema que determina o valor das parcelas”. Questionado sobre se os valores das demais parcelas não poderiam constar no boleto, evitando a confusão – como os bancos fazem –, ele disse que “o envio de um boleto para cada parcela, sem saber se o contribuinte escolheria o pagamento à vista ou a prazo, traria gastos de impressão e envio desnecessários à prefeitura”. Aumento Confusos ou não, o fluxo de contribuintes cresceu nas centrais de recebimento do IPTU em comparação com 2009. Mais de 10 mil pessoas já estiveram nos locais desde o último dia 11, quando o recebimento da edição 2010 do IPTU começou. São mil pessoas por dia, em média, segundo o secretário, que estima em 5% o aumento no valor arrecadado. “As pessoas estão adiantando o pagamento, que deve ser feito dia 12 de fevereiro, porque querem colocar as contas em dia”, explica Nahas. Parte da expansão no recebimento do IPTU deve-se às renegociações de débitos, mais recorrentes nesse ano. Inadimplência baixa O governo municipal espera arrecadar entre R$ 95 milhões e R$ 98 milhões até o fim do ano, entre novos e velhos débitos. Na Capital, 82% dos carnês foram pagos em dia nos últimos anos, número que teve aumento depois que a atual administração reduziu juros e estendeu prazos para contribuintes inadimplentes. O prazo para parcelamento de débitos, por exemplo, saltou de 36 meses para até 96 meses – oito anos para se entender com a prefeitura. “Em 2005, no inicio dessa administração, a adimplência era de 55%, e tivemos de facilitar o pagamento, oferecer prêmios e isso teve efeito. A população quer pagar seu imposto em dia”, analisa o secretário. Imposto de peso O IPTU é a principal fonte de arrecadação municipal Brasil a fora. Estudo do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) constatou, em 2002, que o imposto representou 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Mesmo assim, o valor arrecadado é mais baixo do que em países desenvolvidos, onde impostos da mesma natureza representaram até 4,5% do PIB. De acordo com o estudo, os contribuintes mais pobres comprometem uma parcela maior da sua renda com o pagamento do imposto que os mais ricos. O IPEA também mostra que existem prefeituras brasileiras que chegam a isentar os contribuintes do IPTU, em anos eleitorais, por temer a perda de votos. A medida eleitoreira enfraquece os caixas e, por consequência, o desenvolvimento dessas cidades.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Promotoria abre inquérito após shopping de SP pedir autorização para apreender meninos de rua

BRASIL

Chanceler diz que ação na Venezuela não tem caráter intervencionista

Mãos que falam:
LUIS PEDRO SCALISE

Mãos que falam: "Em tempos de Dieta"

VENEZUELA

Maduro discursa para apoiadores e critica ajuda humanitária

Mais Lidas