Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

TRÂNSITO

Capital teve uma morte no trânsito a cada cinco dias em 2010

21 MAI 2011Por DANÚBIA BUREMA12h:00

Em 2010, a cada cinco dias, uma pessoa morreu vítima de acidente de trânsito em Campo Grande. A estatística é da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), que contabilizou 79 mortes em decorrência de colisões. Esse número foi obtido por meio de cruzamento inédito dos dados da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran) com os que a Santa Casa possui com base no atendimento às vítimas. 

Segundo a Agetran, todas as contagens anteriores de vítimas fatais do trânsito envolviam apenas as pessoas que morriam no local, sem considerar as mortes nos hospitais. Dessa forma, haviam sido divulgadas apenas 56 mortes em 2010, quando o número real inclui mais 23 vítimas.

Esse foi o caso de uma pedestre e de um motociclista que se envolveram em acidente na última quinta-feira e apesar de não terem ferimentos considerados graves no momento dos acidentes, morreram algumas horas depois na Santa Casa.

Com a nova contagem, passam a ser contabilizados também os feridos que estiverem internados e morrerem até o 30º dia após o acidente. O levantamento considera apenas os acidentes no perímetro urbano.

Raio-X
A nova contagem está sendo feita feita para que se obtenha o número exato das mortes em decorrência de acidentes de trânsito e faz parte das ações do Gabinete de Gestão Integrada do Trânsito, responsável pelo projeto Vida no Trânsito que conta com a supervisão da Organização das Nações Unidas, explica a chefe da Divisão de Educação para o Trânsito da Agetran, Ivanise Rotta.

Ela detalha que em um primeiro momento estão sendo compilados os dados do ano passado e depois será feito levantamento das mortes de 2011. A previsão é que o trabalho seja concluído até o final do mês. A margem de erro do levantamento é de 5% e os dados ainda serão cruzados com os do Ministério da Saúde. 

Além das pessoas que morrem nos hospitais, a nova contagem incluirá as vítimas gravemente feridas. Conforme a Organização Mundial de Saúde, são consideradas nessa classificação apenas quem precisa permanecer no hospital por período igual ou superior a 24h após o acidente.

Dados preliminares da Santa Casa indicam que 200 pessoas em estado grave dão entrada no hospital mensalmente vindas de vários municípios do interior. Ainda falta ao grupo de trabalho apurar quantos dos gravemente feridos são decorrentes dos acidentes ocorridos na Capital. 

Leia Também