segunda, 16 de julho de 2018

SUCESSÃO DE NELSINHO TRAD

"Capital terá uma penca de candidatos"

7 DEZ 2010Por Lidiane Kober00h:00

A pouco menos de dois anos da disputa pela sucessão do prefeito Nelsinho Trad (PMDB), partidos já se mobilizam para concorrer à Prefeitura de Campo Grande e a previsão é de o novo prefeito ser escolhido no segundo turno por conta do grande número de políticos que estão de olho no cargo. "Vamos ter uma penca de candidatos", disse ontem o suplente de senador Antonio João Hugo Rodrigues (PTB), que é um dos pré-candidatos.

"Tenho um sonho de ser prefeito da minha cidade. Não tenho obsessão por ser prefeito, é diferente, tem gente que é obcecado por isso e eu não sou", explicou. "Se eu reunir condições de apoiamento político suficiente, eu posso me lançar candidato sim, mas, se eu não conseguir reunir um apoio político bom e se não tiver um apelo da população, aí não adianta ser candidato a nada", completou o pré-candidato à sucessão de Nelsinho Trad.

Além dele, já foram cotados para entrar na disputa os deputados federais eleitos, Edson Giroto (PR), Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Reinaldo Azambuja (PSDB), além dos deputados estaduais Carlos Marun (PMDB), Márcio Fernandes (PTdoB), Paulo Duarte (PT) e Pedro Kemp (PT), bem como a vice-governadora eleita Simone Tebet (PMDB) e a senadora Marisa Serrano (PSDB). "Vai ter candidato do PMDB, PDT, PT, DEM, PSDB, de partidos nanicos e do PSB", avaliou Antonio João. "Penso que no primeiro turno cada um lança o seu", acrescentou.

Nem por isso, ele acredita em revoluções na política de alianças em Mato Grosso do Sul. Indagado sobre a possibilidade de acontecer o fim da parceria de anos entre PSDB, DEM e PMDB, o suplente de senador afastou um racha definitivo. "Não é rompimento, é uma campanha separada por uma questão de sobrevivência", opinou. "A não ser que no segundo turno você veja partido aliado se juntando ao PT, mas eu penso que no segundo turno eles se aglutinam de novo", continuou. "É igual cachorro de fazenda: todo mundo briga, chega um cachorro de fora, todo mundo se junta para dar uma surra nele", comparou.

 Saída do PTB
Sobre seu futuro partidário, Antonio João deixou claro que trocará o PTB por outra legenda. "Eu penso em deixar o PTB faz muito tempo. Vou cuidar disso em março", revelou. "Eu não sou uma persona grata para o Ivan (Louzada, presidente regional do PTB). Não tenho nada contra ele, politicamente a gente não está alinhado", explicou. "Por isso, vou buscar um canto para que eu possa me acomodar, aí eu vou consultar os amigos para que a gente possa ver. Eu quero levar um time bom comigo", complementou.

Questionado se está de olho em algum partido, o suplente de senador assegurou que "nem pensei ainda". "Só sei que março vou tomar essa decisão", finalizou.

Leia Também