Sexta, 15 de Dezembro de 2017

Capital terá maratona cultural

14 MAI 2010Por 06h:12
OSCAR ROCHA

A partir de amanhã, e durante nove dias, uma maratona cultural transformará  pontos diferentes da Capital em palcos de intervenções artísticas. A proposta é, por meio da música, das artes plásticas, do artesanato, do circo, da dança, entre outros, refletir sobre o conceito de lugar e suas implicações. A ideia é do Sesc, dentro da programação da 5ª Aldeia Sesc Terena de Artes. Nesta edição, o evento passou a adotar o termo aldeia ao nome. “Com o projeto Palco Giratório, uma iniciativa do Sesc nacional que é o maior circuito teatral do País, se observou a necessidade de um projeto regional que servisse de ponto de intercâmbio entre as produções nacionais e locais. A partir disso, 31 lugares do Brasil passaram a realizar as aldeias, em alguns pontos direcionadas mais às artes cênicas; em outros, houve maior variedade de propostas, como é o caso de Campo Grande”, explica o coordenador do projeto, Higor Advenssud.
A programação se inicia às 10h, com literatura no Calçadão da Rua Barão do Rio Branco.

“As intervenções literárias serão promovidas com a participação de um artista, contador de histórias, que desenvolverá uma performance apresentando os textos para o público. Junto à exposição/intervenção, haverá um livro, no qual as pessoas serão convidadas a escrever o que entendem sobre o tema “Lugar”. De forma lúdica e contemplativa, a intervenção objetiva instigar o público a pensar e refletir sobre questões que fazem parte da sua vida, do seu cotidiano”, antecipa Higor.

Depois, às 14h, acontece a oficina de cerâmica “Iconografias sul-mato-grossenses”, na Praça Ary Coelho. Às 15h, está previsto o cortejo de abertura da maratona cultural, como acontece todos os anos, com o Camalotinho Tuiuiú, Grupo Camalote e Tribo Indígena Limão Verde. A saída acontecerá no calçadão e seguirá à Praça Ary Coelho.

Uma das novidades desta edição é uma residência artística no Sesc Horto, que contará com artistas plásticos, músico, escritores, dançarinos e atores. “Todos reuniram-se, durante sete dias, para a construção de um produto artístico. O público poderá presenciar cada etapa da montagem, desde a discussão em torno do projeto até a apresentação final. É a primeira vez que isso acontece em Mato Grosso do Sul. Os artistas plásticos farão os cenários; os escritores, os textos; os músicos cuidarão da trilha sonora e os dançarinos e atores interpretarão”, explica Higor.

O público poderá assistir ao resultado nos dias 22 e 23 de maio. Também poderão ser vistos vídeo sobre o teatro, peças teatrais locais e de fora. Neste último, o destaque é “Aqueles dois”, da Companhia Luna Lunera (Minas Gerais), baseado em texto de Caio Fernando de Abreu, em cena nos dias 19 e 22 de maio, no Teatro Prosa. Os preços dos espetáculos em teatro são R$ 12 e R$ 6.   

Leia Também