Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

Capital recebe a partir de hoje Conferência Luso-francófona na área de saúde

29 NOV 2010Por NOTÍCIAS MS07h:04

O intercâmbio de informações na área de saúde entre os países de língua francesa e portuguesa reúne entre hoje e quarta-feira (29, 30 de novembro e 1° dezembro), em Campo Grande, 400 profissionais de Portugal, França, África, Canadá e Brasil na Conferência Luso-francófona (Colufras). O tema da terceira edição do evento, que acontece no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, será “Avaliação de Sistemas e Serviços de Saúde”.

A Colufras tem como objetivo aprimorar a qualidade da assistência médica e o acesso aos serviços de saúde a todos os cidadãos dos países que falam a língua francesa (francófono) e portuguesa (lusófono), principalmente da província de Quebec, no Canadá, e no Brasil. As duas línguas oficiais da Colufras são francês e português.

O encontro possibilita que os profissionais se expressem em suas próprias línguas para divulgar as competências, instituições, os trabalhos e experiências na área da saúde. O simpósio também promove o intercâmbio e o desenvolvimento de novas parcerias.

Participam da conferência os 78 secretários de saúde dos municípios de Mato Grosso do Sul, dos 26 Estados do País e do Distrito Federal; Fiocruz, representantes de universidades, instituições filantrópicas e organizações internacionais.

A abertura oficial, no dia 29 às 9 horas, será realizada pela secretária de Saúde do Estado e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Beatriz Dobashi. As palestras serão abordadas por conferencistas das universidades de Montreal (Canadá), Genebra (Suíça), Lisboa (Portugal) e Universidade de São Paulo (USP). Também participam profissionais da França e do Brasil. Clique aqui.pdf para ver toda a programação.

Histórico

A Colufras surgiu de discussões iniciadas em 1999 entre os líderes universitários e governamentais da área de saúde do Brasil e do Canadá, que observaram a necessidade de valorizar o emprego das línguas francesa e portuguesa nos fóruns internacionais e preservar a riqueza da diversidade cultural no continente americano. A partir de 2001 os líderes da saúde de Portugal passaram a se interessar pelo movimento e manifestaram interesse na ampliação da conferência para os países da Europa e África.

O evento tem como colaboradores instituições privadas e públicas do Brasil e do Canadá. Entre os primeiros participantes destacam-se a Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB), as organizações não governamentais Pró-Saúde e Abraspe, além das secretarias de Saúde de Goiás e Distrito Federal.

No Canadá os primeiros fomentadores do intercâmbio foram a Agência Canadense para o Desenvolvimento Internacional (ACDI), o governo de Quebec, o Instituto de Readaptação de Montreal, a Agência Regional de Saúde de Outaouais, a Corporação de Abastecimento Hospitalar de Montreal e várias empresas do setor farmacêutico e do setor de acessórios médicos e serviços.

Leia Também