Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

crimes

Capataz baleado pela mulher durante briga

15 JAN 2011Por karine cortez e thiago gomes00h:00

Depois de agredir fisicamente a esposa, uma jovem de 27 anos, um capataz de fazenda de 56 anos foi atingido por um disparo de arma de fogo desferido por ela. A tentativa de assassinato aconteceu no Assentamento Silvio Rodrigues, em Rio Brilhante, por volta das 21h de quinta-feira.

A polícia foi acionada para atender ocorrência de disparo de arma de fogo e, no caminho para o assentamento, se depararam com a mulher seguindo de carro. Ela mesma parou a viatura da polícia e disse que havia cometido o crime. Demonstrando muito nervosismo e chorando muito, a jovem entregou aos policiais a arma do crime e disse ter atirado para se defender.

A jovem contou que começou a ser agredida pelo marido e se trancou no quarto para fugir das agressões, mas o capataz conseguiu arrombar a porta e, com medo, a mulher acabou atirando contra ele com a arma que pertencia ao próprio marido. O capataz foi ferido na barriga e encaminhado para o hospital municipal de Rio Brilhante.

Conforme registros da Polícia Civil, nenhum dos dois têm antecedentes criminais. A mulher vai responder por tentativa de homicídio doloso e o homem, por lesão corporal e posse irregular de arma de fogo.

 Corpo achado
Enquanto isso, M.O., que se encontrava desaparecido, foi encontrado morto na última quinta-feira. Conforme a polícia, o corpo estava em uma valeta, na Fazenda Rancho Alegre, às margens da BR-267, em Nova Alvorada do Sul.

A vítima trabalhava na propriedade rural e estava sumida desde o dia 31 de dezembro último, um dia depois de receber cerca de R$ 1 mil como pagamento por um serviço que realizava no local. Ele não tinha parentes residindo na cidade.

O cadáver foi achado por um capataz da fazenda, que, ao realizar o seu trabalho nas imediações da casa de M.O., acabou sentindo forte cheiro, localizando o corpo já em adiantado estado de decomposição. Ainda de acordo com as informações, há indícios de que o trabalhador foi assassinado com pelo menos três facadas na altura do peito. O corpo foi levado para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) de Dourados.

Leia Também