Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

quarta, 20 de fevereiro de 2019 - 06h41min

"Caneleiro" e "Gordo" se enfrentam no Morumbi

28 MAR 10 - 10h:22
     

        Da redação

         

2009. Enquanto Ronaldo era unanimidade no Corinthians, Washington era chamado de "caneleiro" no São Paulo.

2010. Enquanto Washington se tornou [quase] unanimidade, Ronaldo é chamado de "gordo", de forma nada carinhosa, pelos torcedores corintianos.

A troca de papéis entre os principais atacantes de Corinthians e São Paulo é visível neste início de temporada. Tornou-se ainda mais aparente na última quarta-feira, quando as duas equipes perderam suas partidas no Estadual.

O camisa 9 são-paulino não esteve em campo na derrota para o Bragantino. Poupado por Ricardo Gomes, sua ausência foi considerada um dos fatores para o quarto revés do time tricolor nesta temporada.

Sentir falta de Washington seria algo impensável há alguns meses. Na maior parte do ano passado, o atacante, criticado pelas inúmeras chances de gol que perdia, não teve sequer vaga de titular garantida no time.

Agora, o camisa 9 é quem vê uma disputa por um lugar a seu lado. Dagoberto, titular absoluto no ano passado, e Fernandinho, que ainda tenta recuperar a forma física, disputam a outra vaga do ataque tricolor.

Ronaldo, pelo contrário, foi titular no 1 a 0 a favor do Paulista. Seu desempenho pífio em campo motivou cobranças e xingamentos da torcida, cena inimaginável há um ano.

Com informações da Folha Online

         

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Azambuja busca apoio para receber  R$ 1,9 bilhão da Lei Kandir
BRASÍLIA

Azambuja busca apoio para receber R$ 1,9 bi da Lei Kandir

Ministério deve negar aumento  de repasse à Santa Casa
UNIDADE DE TRAUMA

Ministério deve negar aumento de repasse à Santa Casa

Governo vai propor bônus  de 30% por ano de trabalho
SERVIDORES

Governo vai propor bônus
de 30% por ano de trabalho

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial desta quarta-feira: "Sistema perverso"

Mais Lidas