Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Candidatura de Requião chega tarde a MS

26 JAN 10 - 07h:24Marco Eusébio
Lideranças do PMDB de Mato Grosso do Sul defendem que o partido deveria lançar candidatura própria para a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Consideram, entretanto, que já é tarde para, em ano eleitoral, viabilizar uma candidatura à Presidência da República com a estrutura que um projeto eleitoral desse porte exige e que unifique o partido para concorrer em condições de igualdade. É com esse espírito que integrantes da bancada federal do PMDB deverão recepcionar o governador do Paraná, Roberto Requião, que virá a Campo Grande na próxima sexta-feira buscar apoio para ser candidato do partido ao Palácio do Planalto. “Candidatura à Presidência da República não se improvisa”, disse o senador Valter Pereira, ao afirmar, ontem, que estará no aeroporto para recepcionar Requião. Frisando que partido “sem vocação de poder perde a confiança da população”, reitera que sempre defendeu candidatura própria. Lembra que a cúpula nacional do PMDB não elegeu essa diretriz e diz que, em cima da hora, só uma grande mobilização de governadores, senadores e deputados federais do partido poderia “viabilizar essa possibilidade”. Mas considera não haver mais tempo para isso. Também defendendo que candidatura própria “é o melhor caminho para qualquer partido”, o deputado federal Waldemir Moka lembra, porém, que a decisão sobre a sucessão presidencial passa pelo Diretório Nacional e questiona se há tempo de viabilizar uma candidatura que unifique a maioria do partido até o período de campanha. “Se o Requião conseguir, terá todo o nosso apoio. Mas, sinceramente, não vejo como”. Outro que não crê haver mais tempo para levar a cúpula do PMDB a um consenso sobre um nome do partido para suceder a Lula é o deputado federal Geraldo Resende. Afirma que Requião “será bem-vindo”, mas vê a aliança com o PT cada vez mais próxima. Para Resende, é iminente a reeleição de Michel Temer à presidência nacional do partido e isso reforçará a indicação do deputado paulista à vice na chapa a ser encabeçada pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Também defensor de candidatura própria, o deputado Nelson Trad, porém, demonstra não crer nessa hipótese para as atuais eleições. Ao falar sobre a visita de Roberto Requião para pedir apoio ao projeto, demonstra ver o partido dividido. “Acho que é a própria manifestação democrática do PMDB de definição daquilo que está indefinido”, respondeu, frisando que, embora pareça, sua opinião não é paradoxal. “É a própria definição do PMDB nesse contexto da sucessão nacional”, arrematou
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Já campeão, Brasil atropela Itália e termina invicto campanha no Japão
VOLÊI

Já campeão, Brasil atropela Itália e termina invicto

Dois são absolvidos de processo que envolve Puccinelli e Amorim
JUSTIÇA FEDERAL

Dois são absolvidos de processo que envolve André

No elenco de "A Dona do Pedaço", Lucy Ramos vibra com virada da personagem na trama
TELEVISÃO

No elenco de "A Dona do Pedaço", Lucy Ramos vibra com virada da personagem na trama

Balança comercial tem saldo <br>de US$ 2,2 bilhões no ano
MATO GROSSO DO SUL

Balança comercial tem saldo de US$ 2,2 bilhões no ano

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião