Domingo, 18 de Fevereiro de 2018

SEM CONSENSO

Candidatura de Geraldo irrita o governador

15 DEZ 2010Por Fábio Dorta, de Dourados04h:50

A insistência do deputado federal Geraldo Resende (PMDB) em ser candidato à Prefeitura de Dourados deve afastar o governador André Puccinelli (PMDB) da eleição extemporânea no segundo maior município de Mato Grosso do Sul. Em reunião marcada pela tensão, André deixou o aviso de que o PMDB não terá apoio nem dinheiro, caso insista em não se coligar com o DEM, em favor da candidatura do vice-governador Murilo Zauith.

Nos próximos dias, o diretório regional contratará uma pesquisa qualitativa e quantitativa para definir o rumo do PMDB na disputa pelo comando da administração municipal.

A reunião da executiva foi realizada no gabinete da prefeita interina Délia Razuk e, segundo dirigentes que preferem não ser identificados, o encontro foi marcado por momentos de tensão, justamente pela tentativa de o governador em demover de alguns a ideia de lançar candidatura própria.

Além de evitar um confronto entre tradicionais aliados, o governador acredita que dificilmente um candidato do PMDB, ou de qualquer outro partido, venceria Murilo, que lidera as pesquisas. A prefeita interina Délia Razuk afirmou que uma aliança com o DEM não seria empecilho. O maior problema, neste caso, seria a posição de Geraldo Resende, que não abre mão de disputa.

Diante da recusa do parlamentar, o governador reiterou, no encontro, o que disse horas antes, na inauguração do Fórum de Dourados: não vai ajudar o partido com recursos financeiros e nem vai fazer campanha contra Murilo.

Mas a pressão do governador pareceu não desanimar Resende. Logo no início da manhã de ontem, ele foi à Assembleia Legislativa pedir o apoio dos deputados do partido em uma eventual disputa pelo comando da segunda maior prefeitura do Estado. Ele demonstrou não se preocupar com a decisão de Puccinelli de não ajudar a legenda na eleição. "Campanha não se faz só com dinheiro. Se faz com projetos", declarou. "Está na hora de aprovar uma reforma política e acabar com a infraestrutura imensa que, muitas vezes, sai vitoriosa de eleições", finalizou.

 Pesquisa
Ao final da reunião do PMDB ficou definido que o diretório regional vai coordenar o processo de realização da pesquisa. A consulta aos eleitores começará a ser feita ainda esta semana, mas, ao contrário do que pretendiam Resende e outros dirigentes, além dos pré-candidatos do PMDB, o nome de Murilo também será colocado na pesquisa, em cenários onde ele enfrentaria o deputado federal ou Délia.

Outros três nomes do PMDB serão avaliados na pesquisa, o vereador e presidente do diretório municipal Laudir Munaretto, o secretário municipal de Obras e Planejamento Antônio Nogueira e o radialista Marcelo Mourão. (colaborou Lidiane Kober)

Leia Também