Domingo, 25 de Fevereiro de 2018

OPERAÇÃO URAGANO

Candidatos implicados ainda tiveram mais de 7 mil votos

4 OUT 2010Por Antônio Viegas/Dourados18h:47

A população de Dourados, mesmo diante do escândalo nos meios políticos com as denuncias da Operação Uragano, ainda votou nos candidatos apontados como envolvidos na organização criminosa que atuava na prefeitura. Candidatos a deputado estadual como os vereadores Marcelo Barros e Sidlei Alves, ambos do DEM, Aurélio Bonatto (PDT) e Dirceu Longhi (PT), tiveram em Dourados, 7437 votos.

No caso de Marcelo Barros (1.869 votos) e Dirceu Longhi (1.525 votos), eles foram denunciados à Justiça pelo Ministério Público, mas não tiveram suas prisões decretadas. A campanha, mesmo que de forma tímida, continuou nas ruas após a operação. Marcelo, por sua vez, tentou se explicar à população alegando ser inocente enquanto que Longhi manteve sua programação, não se preocupando em justificar as denuncias.

Quanto a Aurélio Bonatto (1.351 votos), ele ainda procurou através de entrevistas, pedir desculpas aos eleitores, se colocando como vítima de uma armação. Aurélio chegou a ser preso e fez parte do primeiro grupo libertado. Já o vereador Sidley Alves (1.504 votos), ex-presidente da Câmara, não teve a oportunidade de se dirigir aos eleitores porque ainda continua preso na Penitenciária Harry Amorim Costa (Pahc).

Além dos vereadores, o deputado estadual Ari Rigo (PDT), candidato derrotado a reeleição e, que apostava numa votação expressiva do eleitor douradense, teve 1.588 votos na cidade. Rigo foi um dos principais apoiadores da candidatura do prefeito afastado Ari Artuzi (preso) e, na reta final da campanha teve sua imagem veiculada na mídia nacional, com um dos “conselheiros” do esquema criminoso.

Leia Também