Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

MANIFESTO

Campo Grande participa hoje da Hora do Planeta

Campo Grande participa hoje da Hora do Planeta
26/03/2011 12:40 - da redação


Pelo terceiro ano consecutivo, a Prefeitura de Campo Grande adere à campanha “Hora do Planeta”. O objetivo é incentivar toda a população a apagar as luzes durante uma hora hoje, dia 26 de março, entre 20h30 e 21h30 (horário local). A iniciativa é da Organização Não Governamental (Ong) WWF-Brasil. Em 2010, mais de um bilhão de pessoas em 4.616 cidades de 128 países ficaram no escuro pela causa.

O Brasil aderiu ao movimento em 2009 e, desde então, a Prefeitura de Campo Grande se comprometeu com a ação e conseguiu levar milhares de pessoas à desligarem as luzes por uma hora, na data escolhida para a Hora do Planeta.

Para colaborar com a campanha, que visa alertar a humanidade sobre o problema do aquecimento global e a importância de conservar os ecossistemas, na noite de 26 de março, das 20h30 às 21h30 (horário local), serão apagadas as luzes de monumentos, praças e prédios públicos que são referência na cidade.

Para o prefeito Nelson Trad Filho “a escuridão foi uma maneira encontrada de despertar a luz da consciência ambiental nas pessoas”. O chefe do Executivo assinará amanhã (18.03), às 8h30, o termo de adesão do WWF-Brasil.

Em Campo Grande, entre os ícones que ficarão no escuro na Hora do Planeta estão o prédio histórico Morada dos Baís, a Central de Atendimento ao Cidadão, o Obelisco. Também serão desligadas as luzes do Horto Florestal, os parques Jacques da Luz (Bairro Moreninhas), Tarsila do Amaral (Bairro Vida Nova), Belmar Fidalgo a Praça Elias Gadia, entre outros.

Este ano também serão apagadas as luzes da Feira Central, Mercado Municipal e Centro Comercial Popular (Camelódromo), todos localizados na região central da cidade.

A Prefeitura de Campo Grande também vai mobilizar todas as secretarias e órgãos, além de seus parceiros para a Hora do Planeta.

Felpuda


Outrora afinadíssimo com o presidente Jair Bolsonaro, parlamentar sul-mato-grossense começou a ser escanteado em consequência de uma das crises políticas de grande repercussão. A figura entrou em campo e botou falação sobre o que estava ocorrendo, e isso soou que só como crítica pesada ao governo, que, como não poderia deixar de ser, não gostou nadica de nada. Há quem diga que o dito-cujo é muito levado “pelo sangue”. Então, tá!...