Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NO BOLSO

Campo Grande ficou em 2º lugar na alta de cesta básica

Campo Grande ficou em 2º lugar na alta de cesta básica
09/01/2014 11:20 - g1


O valor da cesta básica aumentou em 2013 nas 18 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). Segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (9), em 9 das 18 localidades o preço subiu mais de 10% no acumulado do ano passado.

As maiores altas foram verificadas em Salvador (16,74%), Natal (14,07%) e Campo Grande (12,38%). As menores oscilações ocorreram em Goiânia (4,37%) e Brasília (4,99%). Em São Paulo, a alta foi de 7,33%.

Em dezembro, houve aumento da cesta em 15 cidades. As maiores elevações foram
registradas em Goiânia (7,95%) e Florianópolis (7,86%).

Porto Alegre foi a capital com o maior valor para a cesta básica em dezembro (R$ 329,18), seguida por São Paulo (R$ 327,24) e Vitória (R$ 321,39). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 216,78), João Pessoa (R$ 258,81) e Salvador (R$ 265,13).

Salário mínimo deveria ser R$ 2.765

Com base no custo apurado para a cesta básica no país e levando em consideração adeterminação constitucional que estabelece que o salário mínimo deveria suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o Dieese estima que, em dezembro, o menor salário pago no país deveria ser R$ 2.765,44, ou seja, quatro vezes o mínimo em vigor.

Segundo a pesquisa, em dezembro de 2012, o valor necessário para atender às despesas de uma família foi de R$ 2.561,47.

Em dezembro de 2013, a jornada de trabalho necessária para a compra dos alimentos
essenciais por um trabalhador remunerado pelo salário mínimo, foi de 94 horas e 47 minutos, ante a uma jornada de 94 horas e 23 minutos no mesmemo mês do ano anterior.

Em dezembro, houve aumento da cesta em 15 cidades. As maiores elevações foram
registradas em Goiânia (7,95%) e Florianópolis (7,86%).

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?