MODERNO

Capital é uma das cidade do mundo que mais fotografa pratos de sushi e churros

Poucas cidades do mundo conseguiram entrar para o “mapa de comida do Intagram”
26/08/2015 01:00 - EDUARDO FREGATTO


 

Fotografar pratos de comida é uma mania mundial. As imagens são especialmente populares no Instagram, aplicativo de compartilhamento de imagens para smartphones, e Campo Grande não faz feio no número de fotos publicadas.

Um ranking feito pelo website PhotoWorld mostrou que a Cidade Morena está entre as cidades do mundo que mais registram fotografias de sushi e churros, ao lado de metrópoles como Nova York, São Paulo e Milão. Campo Grande aparece também, com menos destaque, nos rankings de pizza e bacon.

Para criar a lista, o site usou hashtags postadas no período entre 10 a 18 de março de 2015. 
Atrás de cidades como Nova York (4,5%), Los Angeles (3,5%) e Tókio (2,4%), Campo Grande aparece com 0,1% das imagens de sushi postadas em todo o planeta. Pode parecer um número baixo, mas é preciso considerar que mais de 100 mil cidades foram consideradas em um universo de mais de 1 milhão de fotos postadas diariamente. 

Quando o assunto é churros, a Capital sul-mato-grossense perde para cidades como Madri (4,5%), São Paulo (4,1%) e Singapura (4,1%), mas acumula 0,4% das imagens publicadas mundialmente.

A gerente de uma casa de sushi da Capital, Mariele Santos, de 26 anos, diz que a maioria dos clientes fotografa os pratos de sushi antes de comer. Quando pedem rodízio, alguns chegam a fotografar a bandeja do garçom.

“Virou moda, as pessoas querem mostrar que o que estão comentando”, opina. “Não acho que seja uma forma de ostentar, mas sim de compartilhar aquele momento mesmo”, conclui.

O gráfico completo está disponível no endereço eletrônico www.photoworld.com/instagram-food-capitals.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".