quinta, 19 de julho de 2018

ELEIÇÕES 2010

Campanha milionária não garante vitória nas urnas

5 NOV 2010Por LIDIANE KOBER02h:00

Na corrida por votos, nem campanhas milionárias garantiram a eleição. É caso dos deputados estaduais Akira Otsubo (PMDB) e Ary Rigo (PSDB). Em busca de vaga na Câmara dos Deputados, o peemedebista gastou R$ 1.209.200,00, a quarta campanha mais cara para deputado federal. Do próprio bolso, ele tirou R$ 703 mil, mesmo assim acabou na primeira-suplência. Rigo, por sua vez, aplicou R$ 1.095.836,10 na luta pela reeleição, contudo, saiu das urnas sem um novo mandato.

A maior parte do dinheiro, Akira gastou com a contratação de cabos eleitorais e funcionários. O investimento variou de R$ 50 a R$ 8.385 por pessoa. Outra boa parcela do recurso ele aplicou em transporte e com material de campanha. Akira gastou mais que cinco candidatos que se elegeram.

O ex-prefeito de Nova Andradina Roberto Hashioka (PMDB) foi outro que investiu mais em comparação a candidatos vitoriosos. Ele aplicou R$ 901.407,68 na campanha, mais que os colegas de partido Marçal Filho (R$ 892.476,09), Geraldo Resende (R$ 712.125,00) e Fábio Trad (R$ 581.416,62). Do próprio bolso, Hashioka tirou R$ 95 mil e de empreiteiras recebeu R$ 160 mil.

Já a campanha do petista João Grandão custou R$ 653.118,42, R$ 71,7 mil a mais que a de Fábio Trad, o quarto candidato mais bem votado.
 
Assembleia
Na corrida por vaga de deputado estadual, a campanha de Rigo foi a quinta mais cara. Ele desembolsou mais dinheiro que outros 19 candidatos eleitos. Do governador André Puccinelli (PMDB), o tucano recebeu R$ 22,3 mil; do deputado estadual Reinaldo Azambuja (PMDB), R$ 150 mil e do deputado federal Waldemir Moka (PMDB), 152 mil. Também contribuiu com sua campanha o prefeito afastado de Dourados, Ari Artuzi, com R$ 2 mil.

Também sem sucesso nas urnas, a petista Thais Helena gastou R$ 640.198,72, mais que 10 candidatos eleitos. Do partido, ela recebeu a maior fatia dos recursos: R$ 210,3 mil.  

A campanha de Amarildo Cruz (PT) também figura na lista das mais caras a deputado estadual. Ele gastou R$ 628.826,33 na corrida por votos, dos quais R$ 109,8 mil tirou do seu próprio bolso e R$ 244,3 mil recebeu do partido. Da mesma forma que Thais Helena, o petista teve gasto superior ao de 10 candidatos vitoriosos.

Apesar de figurar na lista dos 24 mais votados, Professor Rinaldo (PSDB), que teve despesa de R$ 553.589,50, também não garantiu a reeleição. Por conta do coeficiente eleitoral, o tucano ficou na primeira-suplência. Ele gastou mais que sete candidatos vitoriosos.

Mandetta
Luiz Henrique Mandetta (DEM), eleito deputado federal, teve gasto de R$ 1.164.857,50, o quinto mais alto na disputa por vaga na Câmara. Reportagem publicada na edição de ontem informou investimento de R$ 277.940. O dado foi publicado no site do Superior Tribunal Eleitoral (TSE), mas, após atualizações, o órgão alterou o total das despesas do candidato.  

Leia Também