Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 17 de dezembro de 2018

CAMPO GRANDE

Campanha de vacinação contra a gripe vai até o dia 20

14 MAI 2011Por da redação09h:01

O baixo índice de vacinação contra a gripe em Campo Grande motivou a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) a dar continuidade à ação até o dia 20 de maio. A campanha não acontecerá mais na Praça Ary Coelho, mas prossegue nas UBS (Unidades Básicas de Saúde), CRS (Centros Regionais de Saúde), no período das 7h30min às 11 horas e das 13 horas às 17 horas. A vacina é gratuita.

De acordo com os dados parciais da Secretaria Municipal de Saúde Pública (Sesau), a vacinação dos cinco grupos contra a gripe em Campo Grande atingiu até agora a média de 63% da meta que é vacinar 113 mil pessoas. Neste ano, a imunização atende grupos mais propensos a complicações da gripe abrangendo os idosos (que atingiu até agora 64.3%), crianças de seis meses a dois anos de idade (53,6%), indígenas aldeados (28%), gestantes (35,9%) e trabalhadores de saúde das unidades que prestam atendimento aos portadores de Influenza (121%). Na campanha deste ano, na mesma dose da gripe comum foi introduzida a vacina contra o vírus H1N1 (gripe suína).

Para aqueles que tiveram a carteira de vacinação extraviada, as unidades de saúde irão repor o documento. A falta da carteira não impede que a pessoa receba a vacina, todos os que estão dentro das faixas da campanha receberão a dose. De acordo com a Gerente Técnica do Serviço de Imunização da Sesau, Cássia Tiemi Canaoka, os indígenas aldeados alcançam o menor índice de cobertura com 27,8%. As gestantes também estão resistentes na procura pela vacina, sendo o grupo que atinge baixa imunização, com 35% da meta. “Acreditamos que esse cenário seja explicado pelo medo e desconhecimento da gestante em relação à vacina.

“Queremos reforçar que não há risco para a gestante em imunizar contra a gripe, o vírus é inativo e desenvolver a doença por conta da vacina é algo que não acontece”, explica a gerente. Ela lembra que, no ano passado, por causa da maior incidência do H1N1 (gripe suína) no país, as gestantes compareceram aos postos, atingindo, no entanto, pouco mais de 60% da meta desta categoria.


Vacinação – dados parciais
Trabalhadores da Saúde – 11.029 (121%)
Indígenas Aldeados – 891 (27%)
Gestante – 41.106 – (35,97)
Crianças – 10.314 (53,6%)
Idosos – 45.409 (64,3%)
Total - 71.756
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também