Sexta, 23 de Fevereiro de 2018

acidente

Caminhão com óleo tomba no anel rodoviário

28 NOV 2010Por Bruno Grubertt00h:00

Um caminhão carregado com quase 12 toneladas de óleo de soja engarrafado tombou no início da tarde de ontem, no anel rodoviário, BR-163, na saída de Campo Grande para São Paulo. O motorista e a esposa dele ficaram feridos no acidente. Uma das faixas da rotatória foi interditada e o trânsito ficou lento no local.

Quase todas as 693 caixas de óleo ficaram sobre a pista e algumas garrafas plásticas explodiram, fazendo com que o material ficasse espalhado sobre a pista. O Corpo de Bombeiros socorreu as vítimas, que tiveram ferimentos leves e foram levadas para o Hospital Universitário. Por volta das 15 horas, os bombeiros analisavam a possibilidade de jogar areia ou cimento sobre o óleo, antes que a pista fosse liberada. Além do óleo de soja, óleo diesel do caminhão também vazou, deixando a pista ainda mais escorregadia.

Moradores da região foram até o local e, alguns, chegaram a levar algumas garrafas de óleo para casa. Outros, aguardaram a autorização dos policiais para saber se poderiam ficar com parte da carga. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente provavelmente foi causado por velocidade incompatível com a via — no local, a máxima permitida é de 40 Km/h.

Tombamento
Um automóvel Corsa Classic tombou no início da tarde de ontem, na avenida do Complexo Segredo, prolongamento da Avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande. O acidente ocorreu, segundo o motorista do veículo, porque a direção travou e ele perdeu o controle do carro. Além dele, outras três pessoas estavam no veículo e somente um teve ferimentos leves.

O motorista, que preferiu não se identificar, disse que desenvolvia velocidade de 80 km/h quando o acidente ocorreu. O carro atravessou a pista, bateu no guard-rail e parou, tombado, sobre a ciclovia.

De acordo com moradores da região, a avenida não tem iluminação pública e por isso, à noite, há mais chances de ocorrer acidentes. "Esses dias mesmo o carro veio direto e só parou aqui", disse a diarista Roselaine Ramos, de 41 anos, apontando para um terreno baldio ao lado da avenida. Segundo ela, os postes foram instalados, mas, até agora, a iluminação da via ainda não foi ligada.

Leia Também