Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

SEM ALTERAÇÕES

Camelódromo não irá para antiga rodoviária

4 FEV 2010Por 06h:12
A Prefeitura de Campo Grande desistiu de transferir o camelódromo para o condomín io do Terminal Rodoviário Heitor Eduardo Laburu, desativado no último domingo em função do início das operações da nova rodoviária, na região da saída para São Paulo. A informação é do vice-prefeito e secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, de Ciência e Tecnologia e do Agronegócio, Edil Albuquerque, que explicou que a opção foi descartada porque muitos comerciantes reclamaram e afirmaram que não queriam deixar o espaço localizado na Avenida Afonso Pena. Conforme o vice-prefeito, a transferência seria uma alternativa “rápida” para ocupar as 236 lojas do condomínio, mas os comerciantes convenceram o prefeito a desistir da ideia. “Eles estão convivendo harmonicamente com o mercadão (municipal) e se o camelódromo mudar vai prejudicar o mercado. Existe uma associação de interesses e a maioria não quer mudar, então o prefeito Nelsinho descartou a possibilidade e o camelódromo permanece no mesmo lugar”, garantiu. Alternativas Após desistir de transferir o camelódromo, segundo Edil, a prefeitura voltará a negociar com algumas instituições para que, a médio prazo, consiga resolver o problema de ocupação do prédio. Ele disse que a Federação da Indústria de Mato Grosso do Sul (Fiems), por exemplo, poderia adquirir uma das salas de cinema para oferecer os treinamentos do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e do Serviço Social do Comércio (Sesc). Ainda nesta semana, o secretário irá apresentar as instalações ao presidente da federação, Sérgio Longen. Já a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) estaria pleiteando o espaço para instalar a Faculdade de Direito, já que até agora não conseguiu a doação de dois hectares no Parque dos Poderes para a implantação do curso. A Federação de Comércio de Bens, Serviços e Turismos de Mato Grosso do Sul (Fecomércio) também está negociando com a prefeitura, segundo Edil. “Não podemos esquecer do entorno da rodoviária, que vai sofrer com a falta de movimento do terminal, então a decisão tem que ser tomada com calma e a iniciativa privada tem que ter paciência para resolver”, ressaltou o vice- prefeito, explicando que no antigo terminal será organizada a saída de ônibus fretados e de turismo para que a prefeitura possa ter o controle desses veículos e de suas viagens. O ônibus especial de turismo de Campo Grande, o City Tour, também passará a embarcar passageiros na estação desativada e não mais na Morada dos Baís, na Afonso Pena.

Leia Também