sexta, 20 de julho de 2018

DOURADOS

Câmara vota cassações em duas semanas

1 DEZ 2010Por DOURADOS AGORA11h:14

A cassação do prefeito afastado Ari Artuzi será votada pela Câmara de Vereadores no próximo dia 14. Um dia antes os parlamentares devem decidir o destino do vice-prefeito, também afastado, Carlinhos Cantor. Duas comissões processantes investigam os acusados por quebra de decoro, baseadas nas operações Brothers, Uragano e Owari da Polícia Federal. A previsão é do relator de ambas as Comissões processantes, vereador Idenor Machado.

Segundo ele, ontem, último dia para ouvir as testemunhas de defesa, ninguém apareceu para depor a favor do chefe do executivo e do vice dele. Na semana passada somente três das oito testemunhas convocadas pela defesa de Cantor com-pareceram à Câmara. No caso de Artuzi, nenhum dos dez convocados compareceu.

Foram arroladas pela defesa Cantor mas não compareceram: Alexandre Silva de Assis, Sandra Pissini Espíndola, Jackeline Fernandes da Silva, João Carlos Bataglin, Edilson Semzack, Darci Caldo, Alziro Moreno e Eleandro Passaia, ex-secretário de governo de Artuzi, que denunciou todo o esquema de corrupção na prefeitura o que levou prefeito, vice, vereadores e ex-secretários para a cadeia.

No caso de Artuzi, estavam sendo aguardadas as presenças de somente quatro testemunhas: Sizuo Uemura, Eduardo Uemura, Darci Caldo (ex-secretário de Artuzi) e Ademir Osiro, ex-diretor do Inmetro. Nenhuma delas apareceu. Ontem a primeira audiência aconteceu por volta das 8h e contou com a participação do advogado José Vanderley Bezerra, que faz a defesa de Cantor. Às 9h foi a vez da oitiva para tratar do caso Ari Artuzi. De acordo com Idenor, a defesa informou não ter conseguido convencer as testemunhas a comperecerem e pediu para que a Câmara requeresse perante ao judiciário a intimação de todas.

A solicitação não foi aceita pela Comissão, que argumentou não se tratar responsabilidade do legislativo o comparecimento da defesa do investigado. As comissões também decidiram dar 5 dias de prazo para que a defesa apresente as alegações finais. Diante disso o relatório que vai pedir ou não a cassação do prefeito e do vice é finalizado e votado em plenária. Para cassar Artuzi e Carlinhos, será necessário o parecer favorável de no mínimo oito vereadores dos 12, o que representa 2/3 do total.

CP DA SAÚDE

A Comissão que pode cassar o prefeito por má gestão dos recursos da Saúde entrega relatório final no próximo dia 2, conforme membro da CP, vereador Pedro Pepa. A previsão inicial seria para a entrega ontem o que não aconteceu. De acordo com Pepa, há uma demanda grande de análises que o judiciário da Câmara precisa fazer, tendo em vista outras duas comissões, o que faz com que a comição aguarde o desenrolar do processo. Mesmo assim ele garantiu que tudo está dentro do prazo e que o relatório será entregue o mais rápido possível.

Leia Também