Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

QUASE CORRIGIDO

Câmara 'reconhece' MS mas ainda erra nome do Estado

25 MAI 2011Por CLODOALDO SILVA E LIDIANE KOBER00h:00

Depois de várias manifestações em repúdio à troca do nome de Mato Grosso do Sul por Mato Grosso em totem eletrônico da Câmara dos Deputados, a Mesa Diretora determinou ontem a correção do erro que foi denunciado na segunda-feira pelo Correio do Estado. Mas, ainda assim, não foi de todo solucionado. Isto porque consta "Mato Grosso Sul".

A falha anterior indignou a classe política do Estado, que classificou a confusão dos nomes como "um absurdo, uma aberração, falta de respeito e até um atentado à cidadania". A queixa repetiu-se na manhã de ontem em sessão extraordinária. Logo em seguida, os parlamentares foram informados da correção.

Segundo o departamento de comunicação da Câmara, o erro não se tratou de falta de conhecimento geográfico ou histórico, mas de um problema técnico. "Os computadores teriam suprimido o do Sul do texto", relatou o deputado federal Fábio Trad (PMDB). Ele, no entanto, não se convenceu com a desculpa.

O parlamentar, ao lado dos deputados Edson Giroto (PR) e Geraldo Resende (PMDB), foi ao microfone do plenário da Câmara comentar sobre a falha, observado no totem eletrônico. "Destaquei que os sul-mato-grossenses se sentem constrangidos por serem confundidos com os cidadãos de Mato Grosso", contou Fábio Trad. "E sugeri aos funcionários da Casa para estudarem geografia, pois estão atrasados em mais de 30 anos", disse, referindo-se a divisão de Mato Grosso e criação do Estado de Mato Grosso do Sul, em 11 de outubro de 1978.

Giroto também demonstrou seu descontentamento. "É um absurdo o fato de a Casa, que representa os estados e, por isso, tem obrigação de saber os deputados que a compõem, confundir Mato Grosso do Sul com Mato Grosso", comentou.

O coordenador da bancada sul-mato-grossense, Geraldo Resende (PMDB), cobrou pressa na correção do erro. "Solicitamos que seja feita a mudança no totem para que não haja essa confusão, que mostra Mato Grosso com 16 deputados e o Mato Grosso do Sul com zero", declarou.

Leia Também