Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

Caso Sanasa

Câmara fala em comissão e PSDB quer impeachment de prefeito

20 MAI 2011Por Rede Anhanguera de Comunicação13h:18

Os vereadores da Câmara Municipal de Campinas montaram nesta sexta-feira (20/05) uma Comissão de Representação para buscar, ainda hoje à tarde, no Ministéro Público informações mais consistentes a respeito da megaoperação deflagrada em virtude do Caso Sanasa.

A comissão é formada por três vereadores: Arthur Orsi, que representa o PSDB; Luiz Yabiku, que representa a Comissão de Justiça da Câmara; e Professor Alberto (DEM), que representa a Câmara Diretora da casa.

'As denúncias são preocupantes, mas sem provas materiais não temos como avançar em absolutamente nada. Mesmo assim, já estou sendo cobrado pelas pessoas. Estava dando uma aula hoje às 8h30 em uma universidade e senti a pressão para que a Câmara dê uma resposta. Mas, não podemos agir de maneira simplista', afirmou o Professor.

Já Luiz Yabiku disse que 'não podemos agora querer partidarizar esse momento de investigação. A população está preocupada com os acontecimentos já que é um momento histórico na cidade. Temos que nos posicionar sobre isso para que também não sejamos condenados pela opinião pública'.

O presidente da Casa, Pedro Serafim (PDT), por sua vez afirmou que 'a Câmara não pode deixar que a instituição se comprometa. Ela tem por dever e obrigação legislar e fiscalizar' - referindo-se ao suposto afastamento do prefeito. que começa a ser cogitado por alguns parlamentares. 'Ainda não se sabe exatamente o motivo das prisões, mas a Câmara está atenta aos fatos', completou.

Tanto as opiniões quanto as informações foram dadas na manhâ desta sexta-feira (20/05) em uma coletiva de imprensa na Câmara Municipal da cidade.

PSDB

O vereador Arthur Orsi (PSDB), representando o partido, também irá até o Ministério Público. O partido pretende entrar com um pedido de impeachment na Câmara contra o prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) e o vice-prefeito Demétrio Vilagra

'O Hélio não tem condições morais de continuar governando a cidade', afirmou Orsi. Ainda de acordo com o vereador, não há como dissociar a imagem do prefeito dos secretários, já que eles compõem o núcleo da Prefeitura e foram escolhidos pelo próprio.

Para Orsi, com toda essa situação (referindo-se às prisões e ao Caso sanasa em si) , o prefeito se transformou em um 'fantasma'.

Para que o processo de impeachment seja iniciado é preciso que haja 2/3 da Câmara votando a favor.

Corpo de delito

Os doze que foram presos na manhã desta sexta-feira pela megaoperação da Polícia Civil e do Ministério Público na região de Campinas devido às investigações do Caso Sanasa estão neste momento no Instituto Médico Legal (IML) da cidade fazendo exame de corpo de delito.

O exame é padrão no caso de prisão.

Por enquanto, o vice-prefeito, Demétrio Vilagra (PT), e os secretários de Segurança, Carlos Henrique Pinto, e de Comunicação, Francisco de Lagos, estão foragidos e continuam sendo procurados pela Polícia Civil.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também