Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

CADASTRO

Caloteiro vai pagar mais caro pelas dívidas

22 MAI 2011Por R723h:45

Empresas, bancos, associações de defesa do consumidor e até políticos se envolveram em uma polêmica por causa do consumidor nesta semana. O Senado aprovou uma medida para modificar a forma como são feitos os cadastros de consumidores inadimplentes, os caloteiros, pelas empresas de análise de crédito do país. A ideia é beneficiar quem paga em dia e penalizar aquele que atrasa.

Acontece que o chamado cadastro positivo não vai funcionar de forma tão simplista. Isso porque, no mercado, há todo o tipo de consumidor: do que paga em dia e merece benefícios, até o que nunca paga e dá calote em todo mundo. No meio do caminho, há quem tenha atrasado contas por causa de problemas maiores, mas que, no fundo, tentam manter as contas em dia.

Para Juliana Cantanhêde, gerente de contas estratégicas da empresa de análise de crédito Zip Code, o cadastro vai ajudar as empresas a perceber que nem sempre quem tem restrição no nome é um mau pagador. Ela afirma que, mesmo quem eventualmente atrasou uma conta ou deu calote em uma prestação, poderá conseguir crédito se tiver um bom histórico.

- Muitas empresas têm feito um trabalho mesmo com quem não paga. O fato de você ser um devedor, não significa que você não possa ser um cliente. Se você tiver um perfil de compromisso com o pagamento cobrindo a inadimplência, você poderá ter crédito.

O cadastro positivo formará um banco de dados unificado sobre os clientes, com histórico de financiamentos, créditos concedidos, contas pagas (incluindo as de água, luz e telefone), entre outras informações para o mercado. Essa lista vai poder circular pelas empresas de análise de crédito e pelos bancos – diferentemente do que ocorre com o atual método, o cadastro negativo.

Hoje, cada empresa tem a sua (a Serasa, o SCPC, a ZipCode, entre outras), e a lista é feita somente a partir dos dados ruins das contas dos consumidores. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também