Segunda, 11 de Dezembro de 2017

PRODUÇÃO

Calor contribui para elevar em 43% o preço de 11 produtos hortifrútis

13 FEV 2014Por DA REDAÇÃO00h:00

A combinação de raios solares com “potência máxima”, dias de estiagem e chuvas fortes repentinas volta a trazer prejuízos à dona de casa e aos produtores de verduras, legumes e frutas da Capital, segundo reportagem na edição desta quinta-feira (13) do jornal Correio do Estado. Na virada desta semana, 11 produtos ficaram até 43% mais caros na Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul (Ceasa). Desde o início do mês, a majoração já atinge 23 itens.

O consumidor, que na semana passada comprou o mamão havaí para o café da manhã por R$ 4,38, viu o preço de a fruta subir 42,86% em alguns dias, que passou para R$ 6,25. Ainda na mesa de frutas, a manga subiu 39% e o abacaxi 28%.

Outro grande susto para o consumidor é na hora de comprar os itens da salada e do lanche da maioria das famílias. A caixa de alface subiu de R$ 12 para R$ 16,67 (38,91%), o quilo do pepino 33,33% (de R$ 1,30 para R$ 1,74) e o tomate acumula alta de 25% (R$ 160 para R$ 200 a caixa). A vagem está 33% mais cara (de R$ 4 para R$ 5,33 o quilo). 

Produção

Do campo para a venda direta ao consumidor, o produtor explica que é culpa do tempo. “Por causa do calor forte, aí vem o sol e depois chuva forte por cima. A produção não aguenta”, conta Josival Ferreira (foto ao lado), que há cerca de duas semanas não consegue levar alface e outras folhagens para vender na feira de orgânicos, da Praça do Rádio Clube. A reportagem é de Paula Vitorino.

Leia Também