Terça, 20 de Fevereiro de 2018

ARTE

Caixa expõe obras de acervo nobre no Marco

5 NOV 2010Por Thiago Andrade00h:20

Imagine sair de casa em um dia qualquer e ir ao museu apreciar obras de artistas plásticos como Di Cavalcanti, Alfredo Volpi, Djanira, Fausto, entre outros. Embora pareça algo distante para os campo-grandenses, a exposição “Galeria Caixa Brasil” tornará isso possível.

Contando com 22 obras, a mostra será aberta hoje, às 19h, no Museu de Arte Contemporânea (Marco), com entrada gratuita. Mais interessante ainda, é que todas as outras capitais brasileiras receberão obras do acervo da Caixa Econômica Federal, como parte das comemorações dos 150 anos do banco estatal, produzindo a maior exposição simultânea já vista no País.

“É um momento único para a vida cultural de Campo Grande. Com toda a facilidade de se locomover de casa ao museu, os moradores da Capital poderão entrar em contato com a nata da arte brasileira moderna e contemporânea”, explica a diretora do Marco, Maysa Barros. A exposição permanece no local até o dia 28 de novembro. Nesse ínterim, as obras expostas participam de votação, na qual os visitantes poderão escolher aquelas que devem compor uma exposição itinerante com 81 quadros da Caixa Cultural em 2011.

Cada uma das 27 capitais brasileiras receberá obras do acervo da Caixa. Segundo Maysa, a seleção das obras que iriam para cada cidade foi feita pela própria curadoria do banco. “Eles escolheram o número de trabalhos de acordo com o tamanho dos espaços e capacidade de segurança. Tiveram o cuidado de mandar para Campo Grande a única obra de Humberto Espíndola que faz parte do acervo”, elogia. A escolha do dia 5 para a abertura é em homenagem ao Dia Nacional da Cultura.

Segundo Maysa, a exposição também tem caráter pedagógico bastante interessante. “Estudantes e professores de arte poderão apreciar algumas obras que ilustram as páginas dos livros. É um bom momento para mostrar aos alunos importantes produções de arte brasileira”, aponta. Vale lembrar que cerca de 600 obras fazem parte da mostra intinerante “Galeria Caixa Brasil”. A coordenadora do Marco acredita que, futuramente, outras obras possam ser expostas em Campo Grande.

Maioridade
Em 18 anos de atividades, completados este ano, o Museu de Arte Contemporânea de Campo Grande entra em uma nova fase. Com a exposição “Galeria Caixa Brasil”, que será aberta ao público hoje, e a Exposição Rebobine, por favor, na qual o público pode interagir com cenários cinematográficos para produção de um filme, o Marco mostra seu potencial para abrigar grandes exposições. O caso da última, por exemplo, é um fato inédito, no qual uma exposição que passou apenas por São Paulo e Rio de Janeiro vem para a Capital.

“O museu está ganhando reconhecimento. Isso significa que a chance de recebermos exposições de grande porte como essa é ainda maior”, afirma a coordenadora. Contudo, segundo Maysa, o Marco continua oferecendo espaço privilegiado para a arte contemporânea do Estado. Em 14 de dezembro, a última exposição temporária será aberta com os artistas plásticos Fábio Baroli, Maíra Espíndola e Priscilla Pessoa, além de coletiva com 17 artistas paulistanos. Ela também lembra que o edital para as exposições de 2011 está aberto.

Serviço
O Marco funciona das 12h às 18h, de terça a sexta, e das 14h às 18h, nos finais de semana e feriados, na Rua Antônio Maria Coelho, 6.000.

Leia Também