Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 15h02min

Cai preço do feijão e Governo reduz pauta fiscal

31 JUL 10 - 16h:38
Carlos Henrique Braga

O preço do feijão caiu após início da colheita da segunda safra em Mato Grosso do Sul. Na esteira do declínio, o Governo do Estado reduziu a pauta fiscal do quilo do produto tipo carioquinha de R$ 1,80 para R$ 1,30. O feijão preto passou de R$ 1,29 para R$ 1,22. Os valores, que baseiam a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), foram publicados ontem no Diário Oficial como portaria da Secretaria de Fazenda.
A saca de 60 quilos do tipo carioquinha, o mais consumido, teve redução de preço de R$ 108 para R$ 78. A do preto teve queda de R$ 77,40 para R$ 73,20.
Para chegar ao valor da pauta, o governo estadual pesquisa produtores e varejistas. Em cerealista de Campo Grande, o quilo do carioquinha é vendido a R$ 2,15. Segundo o funcionáro, Jazon Souza, os preços estão em queda desde que a safra começou a ser colhida no Estado. Os valores acompanham cotações da Bolsinha, de São Paulo.
O consumidor ainda não viu preços mais em conta do cereal. O Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG), medido pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais da Universidade Anhanguera-Uniderp, apontou crescimento de 3,84% no valor do feijão em junho. O grupo alimentação é o que mais pesa na inflação da Capital.
De acordo com o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), MS vai produzir 28,4 mil toneladas de feijão nesta safra, a segunda do ano, em 17,2 mil hectares. As principais produtoras são Ponta Porã, Caarapó, Dourados, Sidrolândia e Maracaju.
Segundo o gerente de grãos do escritório local da Conab, Fernando Zeferino, a queda nos preços neste período é normal. Para minimizar as perdas do produtor, o primeiro a ver seus lucros reduzidos em épocas de preços vindo abaixo, a companhia vai comprar feijão em Maracaju e Sidrolândia nas próximas semanas. “A compra vai dar uma enxugada na oferta e dar retorno financeiro ao produtor”, explica o gerente.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Nenhum candidato se atrasa para concurso de Magistério
PROVA

Nenhum candidato se atrasa para concurso de Magistério

Deputados temem estoque
IMPORTAÇÃO

Deputados temem estoque "monstruoso" de leite da UE

Operação da PM aborda 117 pessoas   e apreende drogas durante a noite
OPERAÇÃO SATURAÇÃO

PM aborda 117 pessoas e apreende drogas

Anta é fotografada de madrugada   ao cruzar rua de shopping
SHOPPING

Anta é fotografada
ao cruzar rua movimentada

Mais Lidas