segunda, 23 de julho de 2018

eurocopa

C. Ronaldo decide de novo e fura retranca

21 JUN 2012Por terra16h:46

Cristiano Ronaldo mais uma vez respondeu em campo às críticas que recebeu por não ter sido decisivo para Portugal nas duas primeiras partidas do Grupo B da Eurocopa. Depois de ajudar a equipe lusitana a vencer a Holanda e se classificar às quartas de final, nesta quinta-feira o camisa 7 voltou a ser o diferencial da seleção comandada por Paulo Bento em Varsóvia, na Polônia, e garantiu a vitória por 1 a 0 sobre a República Checa com um gol já no final do segundo tempo, dando ao país a primeira vaga na semifinal do torneio.


Apesar do placar magro, Portugal mandou na partida. Cristiano Ronaldo, aliás, foi a principal referência do ataque lusitano - especialmente depois da lesão do centroavante Hélder Postiga, ainda no primeiro tempo. O astro do Real Madrid, aliás, teve uma boa apresentação, acertando a trave duas vezes, finalizando de bicicleta e dando muito trabalho ao goleiro Petr Cech. O gol, porém, só saiu aos 35min da etapa final, de cabeça.

A primeira partida de quartas de final da Eurocopa teve um início morno, bastante truncado, com uma República Checa dispensando grande parte de suas atenções na tentativa de anular a maior arma de Portugal. Ainda que muito bem marcado, Cristiano Ronaldo conseguiu aparecer bem e ser o homem mais perigoso da seleção portuguesa, com três jogadas que chamaram a atenção e impediram que os 45 minutos iniciais do confronto fossem de pura monotonia.

A primeira grande jogada de Portugal aconteceu aos 24min, quando João Moutinho lançou para Cristiano Ronaldo e o camisa 7 bateu cruzado, obrigando o goleiro Petr Cech a fazer grande defesa. Pouco depois, aos 32min, ele recebeu passe no alto de Pepe e improvisou rapidamente com uma bicicleta: apesar de plasticamente bonita, a finalização acabou saindo sem direção.
O lance mais perigoso, porém, foi já nos acréscimos. Cristiano Ronaldo recebeu na grande área, girou para cima da marcação e chutou com força, mas a bola explodiu na trave de Cech aos 46min do primeiro tempo. E o poste novamente voltou a impedir que os lusitanos abrissem o marcador aos 4min da etapa final, em uma falta de longe cobrada pelo camisa 7.

A pressão portuguesa, aliás, só cresceu com o passar do segundo tempo - mas Cech continuou fechando o gol e mantendo vivas as esperanças de classificação dos checos. O arqueiro, destaque na campanha vitoriosa do Chelsea na Liga dos Campeões da Europa desta temporada, executou boas defesas e frustrou Nani e João Moutinho, que haviam feito boas finalizações de fora da área aos 14 e aos 18min.

Só que, embora Cech garantisse na defesa o placar zerado, o ataque da República Checa não conseguia levar a equipe adiante com qualidade. Sem Rosicky, que começou no banco de reservas após se recuperar de lesão, os checos não tinham tanto brilho ofensivo com o meia Darida (titular, mas substituído aos 15min da etapa final) e nem com os atacantes Jiracek e Baros.

Melhor para Portugal, que não amenizou a pressão contra a defesa adversária. Depois de ter um gol de Hugo Almeida anulado aos 12min, em bola cruzada na área, o time luso repetiu a fórmula da bola alçada na área para obter a classificação. Aos 35min, Moutinho levantou da direita e Cristiano Ronaldo mergulhou para cabecear com estilo, para baixo, para enfim vencer Cech e confirmar a vaga à semifinal.

O próximo adversário de Portugal sairá do embate entre Espanha e França, que será jogado no próximo sábado na Arena Donbass, em Donestk, na Ucrânia - que também será o palco desta semifinal, programada para 27 de junho.

Leia Também