Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Correio Rural

Buva e capim-amargoso: daninhas ameaçam agricultura de MS

17 FEV 14 - 00h:00Maurício Hugo

Até mesmo a eficiência e a sustentabilidade do sistema de plantio direto estão em risco pela ameaça de uma infestação incontrolável de plantas daninhas, como a buva e o capim-amargoso, as duas de maior e mais grave incidência no Estado de Mato Grosso do Sul.
O assunto ervas daninhas foi motivo de um encontro de jornalistas especializados das regiões Sul e Centro-Oeste, na terça-feira, dia 11, com o professor Mauro A. Rizzardi, da Universidade de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. Também presentes dois produtores da região, um pequeno e um médio, e técnicos da Dow AgroSciences.

Em Mato Grosso do Sul, depois do encontro no Sul do País, o Correio Rural ouviu o pesquisador da área de Plantas Daninhas da Embrapa Agropecuária Oeste, de Dourados, Germani Concenço, que, igualmente, alertou para os riscos de um descaso, ou de um manejo errado, ou de um mau controle de plantas daninhas como a buva e o capim-amargoso.

Só para que se tenha uma dimensão da capacidade de infestação da buva, uma planta (pé) dessa daninha pode produzir 100 mil sementes, que são muito pequenas e leves, e por isso podem ser levadas pelo vento a distâncias de 40 ou até 60 quilômetros.

A reportagem completa está no Correio Rural.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Polícia prende funcionária de atacadista suspeita de desviar R$ 1,1 milhão
INTERIOR

Polícia prende funcionária de atacadista suspeita de desviar R$ 1,1 milhão

BRASIL

Mais três vítimas de incêndio em hospital do RJ têm alta

Muito esperada, chuva rápida aparece em algumas regiões da Capital
FINALMENTE

Esperada, chuva rápida aparece em Campo Grande

Coluna semanal com dicas <br>e novidades sobre automóveis
COLUNA CARMAIS

Coluna semanal com dicas e novidades sobre automóveis

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião