Busca por avião desaparecido na Malásia reúne 25 países

Busca por avião desaparecido na Malásia reúne 25 países
16/03/2014 13:00 - AGÊNCIA BRASIL


As autoridades malaias informaram hoje (16) que o número de países envolvidos na busca pelo avião desaparecido da Malaysia Airlines subiu para 25, num momento em que as buscas ganham um novo impulso.

"O número de países envolvidos nas buscas e no resgate passou de 14 para 25, o que coloca novos desafios de coordenação e diplomacia aos esforços de localização", disse o ministro da Defesa e Transportes da Malásia, Hishammuddin Hussein.

Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão, Turquemenistão, Paquistão, Bangladesh, Birmânia, Laos e França são os novos países envolvidos nas buscas pelo avião da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana com 239 pessoas a bordo.

O ministro indicou também que foi pedido aos novos países informação especial, como análise de dados de satélite e radares, bem como qualquer elemento de busca terrestre e marítima. O pedido de ajuda surge depois de as investigações confirmarem que o avião da Malaysia Airlines mudou de rumo deliberadamente e se dirigiu para oeste.

Os novos dados, divulgados pelo primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, ontem (16), abrem duas zonas de investigação: uma área que vai do Norte da Tailândia até o Cazaquistão e Turquemenistão e outro corredor que parte da Indonésia e entra pelo Oceano Índico, a Oeste da Austrália.

Ainda que as autoridades da Malásia evitem falar em sequestro, o primeiro-ministro afirmou que os sistemas de comunicações do avião foram desligados de forma deliberada, bem como ocorreu com a mudança de rumo.

O voo MH370 saiu de Kuala Lumpur em direção a Pequim na madrugada de 8 de março e desapareceu do radar 40 minutos depois de decolar. O avião transportava 227 passageiros, incluindo sete menores, além da tripulação de 12 malaios.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".