Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 23 de fevereiro de 2019 - 18h13min

Bruno é hostilizado por multidão e dá risadas

23 JUL 10 - 10h:53
Menos de 30 minutos após chegarem ao Juizado da Infância e Juventude de Contagem (MG), o goleiro Bruno e mais dois suspeitos pelo desaparecimento da estudante Eliza Samudio deixaram o local sem prestar depoimentos. Segundo o advogado Ércio Quaresma, que defende o atleta e o amigo dele, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, o silêncio do grupo motivou a abreviação da audiência prevista para apurar a participação do menor J., primo do jogador, no crime.
“Não tem o que falar, não tem o que fazer aqui”, disse Quaresma. Por volta das 14h, tanto Bruno quanto Macarrão e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, haviam deixado o local para retornar ao presídio de Contagem. Apenas Sérgio Rosa Sales, também primo de Bruno, prestou depoimento ao juiz Elias Charbil Abdou Obeid, segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Minas Gerias (TJ-MG). Por volta das 15h, Sérgio deixou o local.
Bruno foi o primeiro a deixar o prédio, às 13h50min. Sorrindo, o jogador foi hostilizado pela multidão de curiosos. Questionado sobre os motivos do sorriso do goleiro, Quaresma afirmou que se trata da confiança na absolvição. “Ele tem certeza de que a Justiça vai prevalecer”,
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Governo informa que dois caminhões com ajuda entraram na Venezuela

BRASIL

Bolsonaro resgata medidas rígidas que foram propostas pelo PT

Comercial tropeça para Costa Rica e adia classificação
ESTADUAL 2019

Comercial tropeça para Costa Rica e adia classificação

VENEZUELA

'Dia D' de missão humanitária na Venezuela tem confrontos com militares

Mais Lidas