Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FUTEBOL

Bruno César ganha nova chance como titular

Bruno César ganha nova chance como titular
13/04/2011 07:58 - FOLHA ONLINE


Às portas das quartas de final do Campeonato Paulista e há três jogos sem vencer --duas derrotas e um empate--, o técnico Tite não está satisfeito com o desempenho ofensivo do Corinthians.

Com só dois gols marcados nas últimas três partidas, o treinador promoverá o retorno do meia Bruno César ao onze inicial do Corinthians na última partida da fase de classificação do Estadual, domingo, contra o Santo André, às 16h (horário de Brasília), fora de casa.

"Já adianto que o momento do Bruno chegou, ele vai jogar. Estou avaliando a situação de forma geral e quero definir isso na sexta, mas ele está preparado. É a retomada do trabalho do Bruno, normal com todos atletas", afirmou o comandante corintiano.

O meia, que começou o ano em alta após ser eleito a revelação da última edição do Campeonato Brasileiro, tendo balançado as redes adversárias 14 vezes, perdeu espaço após o pífio empate da equipe por 0 a 0 contra o Tolima, no Pacaembu, pela primeira fase da Libertadores-11.

Depois disso, o treinador tentou achar um meia que fosse capaz de fazer o time render como no ano passado. Para a função, ele testou Danilo, Morais, Ramíres e ainda recuou o atacante Jorge Henrique.

"O Bruno voltaria para equipe quando viajou, para vocês [jornalistas] verem como são as coisas. O técnico precisa de coerência, não posso colocar um jogador que faltou no treinamento [para viajar]. Ele ficou fora do clássico [contra o São Paulo], o Ramirez entrou e foi bem", explicou Tite.

Outro que pode reaparecer é o zagueiro Paulo André. Longe dos gramados desde novembro do ano passado para operar, o beque deve ir a campo no próximo domingo.

"Vamos esperar os treinamentos. O Paulo fez um trabalho mais intenso. Essa semana ele vai dar a resposta para a intensidade dos trabalhos e ver se tem condição", finalizou.

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?