Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

sex shop

Brinquedos eróticos imitam sensações reais, mas visual é cada vez mais discreto

9 ABR 2011Por uol00h:48

Os brinquedos eróticos mais luxuosos do mercado não se resumem mais aos objetos fálicos que vêm à mente quando se fala no assunto. Também ficou no passado o conceito de que a sex shop é uma loja de artigos só para pessoas solitárias, em busca de uma alternativa de prazer. As opções para serem usadas a dois são inúmeras e não param de crescer, o que não exclui as bonecas infláveis do mercado.

A 18ª Erótika Fair, realizada de 7 a 10 de abril, em São Paulo, reúne uma infinidade de artigos eróticos. Dos mais simples, que são a maioria, aos mais sofisticados. Entre os itens mais baratos e mais consumidos estão os cosméticos eróticos e pequenos brinquedos, segundo Evaldo Shiroma, organizador da feira. “Há produtos a partir de R$ 5”. Ele está falando sobre os óleos de massagem comestíveis, pomadas que aquecem, dados que sugerem posições sexuais, perfumes afrodisíacos. "Além de baratos, esses itens servem como uma iniciação para o consumidor", acredita Shiroma.

Segundo a empresária Valéria Albuquerque, que importa e distribui produtos eróticos, a tendência é que os itens se pareçam cada vez menos com brinquedos eróticos. E isso é visto na feira. Há muitos estimuladores sexuais em formato de bonecos (como patinhos de borracha), bichinhos de pelúcia que escondem um segredo em seu interior e vibradores em formatos nada sugestivos. "Agora, os consumidores querem opções que proporcionem prazer, mas, se alguém encontrar o produto, nem saberá do que se trata."

De acordo com a sexóloga X,

Quase reais

Apesar de tantas novidades para os casais e da tendência de produtos mais discretos, um item continua fazendo sucesso entre os homens: as bonecas infláveis. As tradicionais, de plástico e com orifícios de borracha, não perderam seus fãs. Até as polêmicas bonecas inspiradas em mulheres famosas estão no Brasil, como as que sugerem uma transa com versões plásticas de Miley Cirrus e Beyoncé.

Mas esse tipo de boneca, mais antigo, tem uma grande concorrente: a “real doll” (boneca real, em tradução livre). Elas são feitas com um material chamado de “cyber skin”, que é muito mais semelhante à pele, e têm formas mais parecidas com as de uma mulher.

“Bonecas como essas podem custar até US$ 10 mil”, conta Shiroma. “Elas têm o peso de uma mulher real e a pele muda de temperatura se entrar em contato com a água quente, por exemplo. O cliente pode escolher os tons de pele, cabelo, olhos e até o número de orifícios –cada um custa US$ 250.”

Menos chocantes e bem aceitos pelo público são os masturbadores masculinos. Muitos deles sequer se parecem com um produto erótico (veja fotos no álbum). São forrados por um material de silicone que imita a sensação de uma penetração real ou de sexo oral –dependendo da textura escolhida pelo cliente. Alguns são descartáveis e custam a partir de R$ 25.

Leia Também