Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CIDADES

Briga por herança termina em assassinato

Briga por herança termina em assassinato
24/08/2010 09:32 -


EDILSON JOSÉ ALVES, PONTA PORÃ

Marciano Aparecido dos Santos foi morto a tiros pelo irmão, em uma suposta disputa por herança. O assassinato aconteceu no município de Naviraí, na região sul do Estado.
De acordo com as informações, o crime foi registrado no final da noite de domingo, no Bairro Vila Nova. A vítima estaria embriagada e teria invadido a casa do autor. As circunstâncias em que se deu o episódio ainda estão sendo apuradas pela Polícia Civil.
Conforme os policiais, por volta das 23h10min, Alex dos Santos, que atende pelo apelido de “Noviço”, de 27 anos, foi surpreendido pelo irmão Marciano Aparecido dos Santos, de 26 anos, que teria entrado em sua casa, situada na Rua Saville Leyco Tacada 320, imóvel deixado pela mãe já falecida.
Os irmãos teriam iniciado uma discussão sobre a posse do imóvel, sendo que Alex Santos, de posse de uma pistola, teria feito os disparos contra Marciano, que foi atingido no peito e no abdome, morrendo no próprio local, antes da chegada da equipe de socorro do Corpo de Bombeiros.
Após matar o irmão, Alex Santos fugiu e até ontem à tarde os investigadores da Polícia Civil que estão trabalhando no caso não tinham  informações sobre o seu paradeiro. O corpo foi levado ao Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) de Naviraí e posteriormente liberado para o sepultamento.

Itaquiraí
Enquanto isso, Vander Pereira dos Santos, de 30 anos, morreu depois de ser baleado no abdome por volta das 22h de domingo em um bar situado no município de Itaquiraí, região sul do Estado.
Santos teria sido baleado por um homem identificado como Eder Vieira da Silva, que atende pelo apelido de “Bicudo”. A autoria e circunstâncias do crime ainda são apuradas pela Polícia Civil.

Felpuda


A continuar disparando tantas críticas ácidas contradizendo o seu partido, que em nível nacional ganhou até um ministério, político cá dessas bandas poderá ser colocado de escanteio e, se continuar nessa cruzada nada palatável para as lideranças, ser convidado gentilmente a “procurar o caminhão do qual caiu”, como se diz no popular. Os comentários são de que o dito-cujo age assim mais para ganhar holofotes. Esqueceu-se, pelo que se vê, que poderá ocorrer curto-circuito. Ui!