Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, sexta, 14 de dezembro de 2018

CAMPEONATO BRASILEIRO

Briga milionária envolve transmissão

18 MAR 2011Por estadão12h:03

Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, a Rede Record mostrou que não desistirá fácil da disputa pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de futebol a partir da próxima temporada. A emissora paulista abdicou de participar da licitação aberta pelo rachado Clube dos 13 - vencida pela RedeTV! -, mas garante que já está negociando diretamente com os clubes.

Alegando estar cumprindo uma determinação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a Record trouxe a público o valor oferecido ao Corinthians e ao Flamengo: R$ 100 milhões por ano, por um contrato de cinco temporadas.

Atualmente, os dois clubes de maior torcida do País são os que recebem a maior cota do contrato em vigor com a Rede Globo - ao lado de São Paulo, Palmeiras e Vasco. Na quarta-feira, porém, quando anunciou ter assinado com a emissora carioca, o presidente do Grêmio, Paulo Odone, relatou que só Corinthians e Flamengo receberiam agora a cota máxima por um novo acordo com a Globo.

O Grêmio faz parte do terceiro escalão de cotas e especula-se que receberá da Globo R$ 60 milhões por ano. Em se mantendo as proporções atuais, Flamengo e Corinthians receberiam cerca de R$ 83 milhões da Globo. A proposta da Record, assim, se igualaria ao ágio de 20% sugerido pelos clubes.

A Record, porém, oferece um contrato de cinco anos, o que, em comparação com a licitação do Clube dos 13, postergaria em dois anos a renegociação de valores. O Grêmio fechou por quatro temporadas com a Globo.

Na nota divulgada nesta quinta-feira, a Record garante que serão tornadas públicas as propostas feitas a todos os clubes da Série A do Brasileirão, mas não esclareceu se a oferta feita a Corinthians e Flamengo é apenas para tevê aberta ou abrange outras mídias. "Clareza de propósitos, negociações à luz do dia, em horário comercial e com respaldo jurídico são os nossos objetivos em todo o processo", diz a emissora paulista.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também