sábado, 21 de julho de 2018

ESPORTES DE NEVE

Brasileiros disputam campeonatos

14 JAN 2011Por ARLINDO FLORENTINO00h:01

A cada dois anos os melhores atletas do planeta se reúnem nas disputas dos Campeonatos Mundiais de esportes de neve. Em 2011, estes eventos agitarão a temporada de inverno no Hemisfério Norte. Entre as provas mais esperadas pelos competidores da Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) estão as de Snowboard, Esqui Freestyle, Esqui Alpino e Esqui Nórdico.

A primeira a entrar em ação é a carioca Isabel Clark. Ela disputa a prova de Snowboardcross em La Molina, Espanha, entre os dias 14 e 23 de janeiro, mesma prova na qual obteve o melhor resultado brasileiro em Jogos Olímpicos de Inverno - 9º lugar em Torino, em 2006. A equipe nacional conta ainda com Marcos Batista, que compete no Slopestyle, também de snowboard. 

Os próximos atletas a competir são Bruno Monti e Christian Blanco, responsáveis pela estreia brasileira no Mundial de Esqui Freestyle. Eles disputam a prova de Ski Cross durante o evento, que ocorre entre os dias 30 de janeiro e 5 de fevereiro, em Deer Valley, Utah (EUA). “O Ski Cross tem apelo jovem, visual e radical e, por isso, atrai cada dia mais praticantes”, comenta Blanco.

Na sequência, as montanhas de Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha, recebem os atletas para a 41ª edição do Campeonato Mundial de Esqui Alpino, entre 8 e 20 de fevereiro. Pelo Brasil competem Jhonatan Longhi, Maya Harrisson, Paulo Egydio, Alex Seibel, Fábio Guglielmini e Chiara Marano. “É uma oportunidade para os atletas brasileiros mostrarem a importante evolução técnica do esqui alpino nacional em seus 44 anos de história”, explica Stefano Arnhold, presidente da Confederação Brasileira de Desportos na Neve.

Os olímpicos Leandro Ribela e Jaqueline Mourão lideram a equipe que encerra o calendário. Eles disputam as provas de Ski Cross Country válidas pelo Campeonato Mundial de Esqui Nórdico, em Oslo, na Noruega, entre 19 de fevereiro e 6 de março. A seleção brasileira contará ainda com Mirlene Picin e Leandro Lutz. Outros que talvez confirmem presença, mas que, por enquanto, estão buscando índices são Fabrizio Bourguignon e Hélio Freitas. “A Noruega é o berço da Esqui Nórdico e os noruegueses têm um carinho todo especial pelo Brasil. Eles nos ajudam desde 2001, quando começamos a disputar esta modalidade olímpica”, lembra Arnhold.

 

Leia Também