Brasileiros caem para repescagem nas provas de remo

Brasileiros caem para repescagem nas provas de remo
31/08/2012 11:35 - TERRA


A disputa das provas de remo dos Jogos Olímpicos de Londres começou nesta sexta-feira, em Eton Dorney, e já contou com representantes brasileiros em todas as categorias. Como não terminaram em primeiro em suas baterias, os atletas do País terão que disputar a repescagem e ficar entre os quatro melhores para sonhar com uma vaga na final A. Caso contrário, terão que disputar a final B, que não vale medalhas.

No skiff simples para mulheres na classe A1x, para paralíticos cerebrais, Claudia Santos fez uma boa prova e por pouco não se classificou diretamente à final A. Mesmo com o bom rendimento, a brasileira terminou em segundo na sua bateria classificatória, com 5min41s38, e garantiu presença na repescagem, que acontece neste sábado, às 5h30 (de Brasília).

Na mesma situação está Luciano Luna de Oliveira, no skiff simples masculino, também na A1x. O brasileiro foi o terceiro de sua série classificatória, com 5min02s21, e avançou à repescagem. O atleta volta a competir neste sábado, a partir de 6h10 (de Brasília).

Nas duplas mistas TA2x, para amputados dos membros inferiores, Isaac Ribeiro e Josiane Lima também se garantiram na repescagem ao finalizar a prova na quarta colocação, com 4min13s54. A parceira disputa uma vaga na final A neste sábado, às 6h50 (de Brasília).

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".