Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NEGÓCIOS

Brasileiro que comanda a Heinz recebe US$ 9,2 mi em 2013

Brasileiro que comanda a Heinz recebe US$ 9,2 mi em 2013
11/03/2014 03:00 - FOLHAPRESS


O brasileiro Bernardo Hees, novo presidente-executivo da Heinz, recebeu US$ 9,2 milhões no ano passado da fabricante de alimentos.

O executivo, que antes comandou o Burger King, assumiu o novo posto em junho do ano passado, depois que foi finalizada a compra da empresa americana pelo fundo 3G Capital.

Esse fundo também adquiriu a rede de fast-food e tem entre seus sócios os brasileiros Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles.

Nos ganhos de Hees, a menor parte é formada por salário: foram US$ 562 mil. As opções de ações (US$ 7,3 milhões) representaram o grosso dos ganhos --US$ 1,2 milhão veio de pagamento de incentivos.

Outras compensações relacionadas com a mudança dele para Pittsburgh (EUA), onde fica a sede da empresa, totalizaram US$ 151 mil.

No início de março, o bilionário americano Warren Buffett afirmou em carta anual a investidores que a compra da Heinz, em que ele é parceiro do fundo 3G Capital, pode servir como um modelo de parceria para futuros negócios.

Na transação avaliada em US$ 23 bilhões, a Berkshire Hathaway, holding de Buffett, entrou como a principal financiadora, e o fundo (formado por brasileiros como Jorge Paulo Lemann) cuida da administração.

Para o americano, a aquisição já começa a dar resultados encorajadores. Segundo ele, o lucro neste ano da Heinz será "substancial", mas não deu nenhuma estimativa de valores.
 

Felpuda


Engana-se quem acha que diminuiu a voracidade de ter fatia de cobiçado bolo por parte de “quem manda”. O recuo realmente houve, mas só por enquanto e por uma questão de estratégia, até porque, nas primeiras investidas, as portas não se abriram. E continuam fechadas. Mas quem conhece bem a dita figurinha aposta que ela não desistirá até encontrar, digamos,  um “chaveiro amigo”. Essa gente não sossega nem diante da pandemia... Afe!