Brasileira é morta em casa na Flórida e ex é principal suspeito

Brasileira é morta em casa na Flórida e ex é principal suspeito
29/08/2012 04:00 - g1


nvestigadores de Orlando, nos EUA, estão em busca do ex-namorado de uma brasileira encontrada morta dentro de casa, em Forest Lane Run.

A mulher, identificada como Jorgete Acarie, de 43 anos, foi morta a tiros e o corpo foi achado por policiais num dos quartos da casa, segundo a TV local Wesh, afiliada da NBC. O filho dela, de 2 anos, também estava na casa, sem ferimentos.

A polícia incluiu Kristofer Gould, 34, ex-namorado da brasileira, como o único suspeito pelo crime até agora. O americano não pode ser contatado.

A assessoria de imprensa do Itamaraty informou que representações brasileiras no país não foram contatadas até o momento sobre o caso.

Antes de ser morta, Jorgete estava tentando manter distância do ex-namorado, segundo o advogado da brasileira, Eben Self, segundo o qual o relacionamento acabou após um longo histórico de violência doméstica entre os dois.

Na semana passada, segundo a emissora, a brasileira, que trabalhava como massoterapeuta nos EUA, denunciou o ex por ele ter quebrado uma janela da casa. Gould já estava em liberdade condicional após ter sido acusado de perseguir Jorgete. Após o episódio, a liberdade foi revogada.

A nova ordem de prisão, no entanto, não foi cumprida porque a polícia não conseguiu localizar mais Gould, segundo o advogado. Ao comparecer a um tribunal, na semana passada, a brasileira relatou que o ex-namorado já havia ameaçado matá-la.

O relatório policial sobre o caso mostra que a polícia foi chamada à casa de Jorgete 56 vezes nos últimos dois anos, muitas das quais envolvendo violência doméstica, como agressão e ameaças.

A criança foi levada e está sob custódia do Departamento da Infância e Família.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".