domingo, 15 de julho de 2018

PEDRO JUAN CABALLERO

Brasileira abandona bebê em praça e é presa

13 OUT 2010Por Edilson José Alves/Ponta Porã15h:43

Uma mulher de nacionalidade brasileira, cujo nome não foi divulgado, e que deu a luz em um hospital paraguaio foi presa pela Polícia Nacional sob acusação de abandonar o recém-nascido em uma praça na área central da cidade. A criança teria nascido de forma prematura e foi deixada já morta no local, conforme a mãe que afirmou ter confiado o corpo a uma amiga.
De acordo com as informações registradas no 1º Distrito da Polícia Nacional em Pedro Juan Caballero, na divisa com Ponta Porã, a brasileira tem 19 anos e deu a luz a uma criança prematura que estava no sexto mês de gestação. O parto ocorreu no Hospital Regional do Paraguai e horas depois o corpo foi encontrado em uma caixa de papelão em uma praça pública no centro da cidade paraguaia.
A mãe relatou que teve problemas durante a gestação e que a criança nasceu viva, foi levada para uma incubadora e poucos minutos depois acabou morrendo. As enfermeiras do hospital orientaram a brasileira para providenciar o sepultamento. A mãe diz que contou com a ajuda de uma amiga que se colocou a disposição de fazer o enterro, mas o corpo foi abandonado em uma caixa de papelão.
Para a Polícia Nacional a brasileira pode estar mentindo e por isso ficará presa até que o fato seja esclarecido. A pessoa apontada como responsável em fazer o enterro teria negado ter assumido tal compromisso. Os investigadores da Polícia Nacional estão trabalhando no caso que também é acompanhado pelo Ministério Público.
Tentativa de homicídio
Por outro lado em Amambaí, o indígena Severino Amarilha, 33 anos, foi esfaqueado na manhã de ontem após uma suposta discussão com Orlando Flores. O crime foi registrado pela Polícia Militar no interior da Aldeia Amambaí, onde vítima e autor residem.
As primeiras informações dão conta que de que Amarilha e Flores discutiram durante a realização de uma festa em uma residência na referida Aldeia. A vítima foi encaminhada ao pronto socorro do Hospital Regional de Amambaí.

Leia Também