Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Brasil terá papel central na OMC para disciplinamento do câmbio

24 JUL 12 - 23h:00AGÊNCIA BRASIL

O embaixador brasileiro na Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevedo, disse hoje (24) que o Brasil terá papel central para o disciplinamento da taxa de câmbio nas relações econômicas internacionais. O tema foi levado ao órgão pela representação brasileira e enfrenta resistência de outros países, segundo Azevedo, especialmente os que são favorecidos economicamente pelo câmbio. Para o embaixador, essas economias mantêm suas moedas desvalorizadas para favorecer suas exportações, prejudicando os países emergentes.

“Colocar o tema na OMC não foi fácil, e é apenas o começo do caminho. A impressão que temos é que, no momento em que o Brasil deixar de empurrar a carroça, essa carroça pare. Não há dúvida”, disse durante evento na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) que discutiu os impactos do câmbio sobre o comércio internacional. A OMC promoveu, em março deste ano, um seminário para discutir a questão, por iniciativa do governo brasileiro.

“Agora o número de países que entendem o problema é maior. O que não quer dizer que esses países estão convencidos de que é preciso encontrar uma solução a partir da OMC”, destacou Azevedo. De acordo com o embaixador, a expectativa é que se criem mecanismos para disciplinar o desalinhamento cambial que gera distorções para a economia de diversos países.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CORREIO DO ESTADO

Confira o editorial deste sábado/domingo: "Revitalizar por completo"

ARTIGO

Venildo Trevisan: "Perseverança"

Frei
OPINIÃO

Eduardo Iwamoto: "Revisão do Tratado de Itaipu, riscos e possibilidades"

Advogado
Nova visão do futuro: Toyota Mirai
CORREIO VEÍCULOS

Nova visão do futuro: Toyota Mirai

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião