SAÚDE

Brasil registra número recorde de transplantes

Brasil registra número recorde de transplantes
16/03/2011 11:11 - ESTADÃO


O Brasil registrou no ano passado 21.040 transplantes - um número recorde -, ante 20.053 realizados em 2009. O aumento mais expressivo ocorreu nas cirurgias para transplantes dos chamados órgãos sólidos (coração, fígado, pulmão, rins e pâncreas), com elevação de 7% em relação ao ano anterior. Transplantes de medula óssea, por sua vez, registraram um aumento de 10% no período: de 1.531 para 1.695.

Os números, porém, ainda estampam as imensas disparidades regionais. São Paulo é responsável por 47% dos transplantes realizados no País: 9,9 mil. A marca é quase cinco vezes maior do que a apresentada por Minas Gerais, o segundo colocado. Tocantins, Amapá e Roraima não realizaram nenhuma cirurgia do tipo.

Para tentar reduzir a diferença, o governo quer lançar um projeto de incentivo para Estados onde o serviço é inexistente ou apresenta deficiências. "A ideia é fazer investimento em toda a rede. Mas daremos atenção especial a Estados que têm mais deficiências", disse o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Miranda.

Para o secretário, é possível aumentar de forma expressiva o número de transplantes no País. "Mas não é necessário que todos os Estados tenham centros responsáveis pela cirurgia. Queremos montar polos transplantadores, que ficarão encarregados do atendimento de pacientes de determinada região.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".