domingo, 15 de julho de 2018

Sub-20

Brasil é derrotado pela Argentina

7 FEV 2011Por Uol00h:15

O Brasil sentiu o gosto amargo da derrota pela primeira vez no Sul-Americano sub-20. Para tornar esse prato ainda mais indigesto, o resultado negativo foi justamente contra a Argentina. Os portenhos, no entanto, venceram por 2 a 1 com direito a um gol logo no início, fruto de pênalti infantil cometido por Juan, e contaram também com a ajuda do árbitro boliviano Wilmar Rondán e o destempero dos brasileiros para conquistar o resultado, neste domingo, no estádio Monumental UNSA, em Arequipa.

Funes Mori abriu o placar logo aos 7min de jogo, mas Willian José conseguiu o empate na segunda etapa e, em uma bobeira da equipe brasileira, Iturbe definiu a vitória para os argentinos.

Com o resultado, os planos de conseguir uma vaga para as Olimpíadas ficaram um pouco mais difíceis, já que Uruguai é, agora, o novo líder do hexagonal final, com sete pontos. A Argentina se igualou ao Brasil com seis, enquanto o Equador subiu a cinco. Colômbia, com um ponto, e Chile, ainda sem pontuar, estão eliminados do Sul-Americano sub-20.

Apesar de marcar uma penalidade e mostrar o cartão vermelho no lance ao zagueiro brasileiro Juan de forma acertada, o juiz boliviano da partida foi omisso em diversos lances, principalmente no primeiro tempo. As seguidas faltas claras sofridas pelos jogadores do Brasil e não marcadas pelo árbitro acabaram desestabilizando a seleção sub-20, que não teve calma para impor sua superioridade técnica e se deixou levar, muitas vezes, pela catimba adversária.

A equipe brasileira, no entanto, também sofreu pelo acaso. No primeiro minuto da partida, o zagueiro e capitão Bruno Uvini caiu sozinho no gramado e teve de ser substituído por Saimon. Seis minutos depois, com a expulsão de Juan, o técnico Ney Franco teve de sacrificar outra troca, e sacou o meia Oscar para a entrada de Romário.

Em vantagem no placar e com um homem a mais, a Argentina passou então a segurar o jogo e usar da catimba para irritar os brasileiros. A estratégia funcionou e, com a conivência da arbitragem, irritou todo o grupo do Brasil. O técnico Ney Franco, que durante a semana chegou a afirmar que precisaria controlar a motivação dos seus atletas, foi um dos mais irritados à beira do gramado.

Na única oportunidade que o Brasil conseguiu manter a calma e fazer uma jogada, Neymar quase marcou de cabeça. Mas aí foi a vez de Andrada mostrar porque é apontado como um dos principais jogadores do seu time e fazer uma grande defesa.

Na segunda etapa, novamente empurrado pela torcida que compareceu ao Monumental UNSA, o Brasil mostrou mais calma. Com a cabeça no lugar, o gol brasileiro não demorou a sair, com Willian José.

A motivação com o empate, no entanto, logo se transformou em frustração. Logo após a saída de Willian José, que sofreu com câimbras, uma desatenção da defesa deixou a bola livre para Iturbe. No seu melhor estio, o atacante arrancou pelo meio, driblou os zagueiros brasileiros e deixou a Argentina novamente em vantagem.

Mesmo com o esforço de alguns atletas, como Saimon, Fernando e Lucas, o Brasil voltou a mostrar descontrole e se deixar levar pela catimba argentina, fato que ajudou a definir a derrota. Um dos reflexos desse destempero foi Neymar, que empurrou desnecessariamente o goleiro adversário, recebeu cartão amarelo, e será desfalque na próxima partida da seleção brasileira, nesta quarta-feira, às 21h10 (0h10 de Brasília), contra o Equador.

Leia Também