Brasil deixa vantagem escapar e é eliminado no handebol

Brasil deixa vantagem escapar e é eliminado no handebol
07/08/2012 09:02 - terra


Após fazer a melhor primeira fase de sua história, terminando em primeiro lugar no grupo, a Seleção Brasileira feminina de handebol acabou eliminada pela Noruega, atual campeã mundial e olímpica, na manhã desta terça-feira, nas quartas de final dos Jogos Olímpicos de Londres. A equipe verde e amarela chegou a ter uma vantagem de seis gols no placar, mas permitiu a recuperação das norueguesas, que venceram por 21 a 19, no Cooper Box.

Se a equipe do técnico dinamarquês Morten Soubak conquistasse a vitória e a classificação à semifinal olímpica, seria a melhor atuação do handebol em Olimpíadas. Em Atenas 2004, a Seleção conquistou o sétimo lugar.

No primeiro tempo a Seleção Brasileira entrou com o um ritmo muito forte, marcando bem e errando poucas bolas. Além disso, a goleira Chana conseguiu fazer importantes defesas e segurar o resultado para o Brasil. Ao final dos primeiros 30 minutos, a equipe verde e amarela vencia por 13 a 9.

A etapa final começou um pouco mais lenta. Porém, a goleira da Seleção voltou a ter uma grande atuação, defendendo três tiros de 7 m. O Brasil chegou a abrir 15 a 9. A Noruega passou então a apertar a marcação em cima das brasileiras, dificultando o jogo da Seleção.

As europeias conseguiram quebrar as jogadas de ataque do Brasil e, gol a gol, conseguiram empatar e ultrapassar a Seleção, encerrando a partida em 21 a 19.

Com a vitória, a Noruega espera o vencedor de Rússia e Coreia do Sul para saber quem enfrentará na semifinal, em busca da segunda medalha de ouro consecutiva.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".