Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

JOGOS OLÍMPICOS

Brasil cai no 'grupo da morte' no vôlei

Brasil cai no 'grupo da morte' no vôlei
12/06/2012 13:45 - TERRA


A Federação Internacional de Vôlei (FIVB, em inglês) divulgou, nesta terça-feira, os grupos da disputa da modalidade nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Na competição masculina, o Brasil caiu no chamado "grupo da morte", ao lado de Estados Unidos e Rússia - equipes que completaram o pódio em Pequim 2008, quando a Seleção foi medalhista de prata.

Além de EUA e Rússia, o time comandado pelo técnico Bernardinho terá pela frente a Sérvia, terceira colocada do Mundial 2010, Alemanha e Tunísia. A chave feminina também não será fácil para a Seleção Brasileira, pois as atuais campeãs olímpicas encontram, já na primeira fase, Estados Unidos e China, que foram medalhistas de prata e bronze, respectivamente, em Pequim 2008. No entanto, Japão e Rússia, duas das maiores forças do esporte entre as mulheres, só poderão jogar contra o Brasil em um eventual encontro a partir da segunda fase do torneio, pois estão em outra chave. Sérvia, Turquia e Coreia do Sul completam o grupo do Brasil no feminino.Na primeira fase, as equipes jogam entre si nos grupos. Os quatro primeiros colocados de cada chave avançam às quartas de final, quando começam os mata-matas da Olimpíada. 

A definição dos grupos se deu de acordo com a posição das seleções classificadas aos Jogos no ranking mundial da FIVB. A entidade colocou o Reino Unido como cabeça do Grupo A. Depois, os dois melhores colocados foram para o Grupo B, os dois subsequentes na chave A, e assim por diante.

Confira os grupos do vôlei nos Jogos Olímpicos de Londres 2012:
Masculino

Grupo A

Reino Unido, Itália, Polônia, Argentina, Bulgária e Austrália

Grupo B

Brasil, Rússia, EUA, Sérvia, Alemanha e Tunísia

Feminino

Grupo A

Reino Unido, Japão, Itália, Rússia, República Dominicana e Argélia

Grupo B

EUA, Brasil, China, Sérvia, Turquia e Coreia do Sul

Felpuda


Figurinha começou a respirar aliviada, embora ainda esteja na corda bamba. Isso porque mudou de mãos o processo cuja sentença poderá mandá-la para casa definitivamente. Assim, pela “jurisprudência” com a qual o “analista” é conhecido, pode ser que o resultado seja bastante favorável, permitindo que a então desesperada pessoa continue com o assento em Brasília. Vamos ver!