Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Brasil anuncia “linhão” de Itaipu até Assunção

4 MAI 10 - 07h:46
PONTA PORÃ

Ao confirmar o financiamento de linha de transmissão de energia de 500 quilowatts, em pronunciamento, ontem, no Centro de Convenções de Ponta Porã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) causou alívio em vários setores da economia do Paraguai. A promessa de construção da linha como forma de compensação pelo excedente de energia produzida na hidrelétrica de Itaipu, vendido ao Brasil por força de contrato, tinha sido feita durante reunião em julho do ano passado, em Assunção.

Passados nove meses da data da assinatura do acordo que previa a construção da linha de transmissão ligando Villa Hayes à hidrelétrica de Itaipu, políticos que fazem oposição ao presidente Fernando Lugo passaram a atacar o governo, afirmando que nada do que havia sido prometido por Lula seria concretizado. Ontem, diante de plateia de jornalistas e autoridades brasileiras e paraguaias, o presidente Lula confirmou a promessa e se comprometeu em entregar a obra até o final do seu governo.

Lula disse que só aguarda a aprovação do projeto por parte do Congresso Nacional brasileiro para dar início aos serviços de terraplanagem da área doada pelo Exército do Paraguai. “Uma parte daquele acordo de 26 de julho de 2009 passa pelo Congresso. O projeto está em tramitação e não sou eu que determino o prazo, o Congresso é um poder independente, mas seus membros sabem da importância desse investimento para o desenvolvimento econômico do Paraguai”. O presidente brasileiro também prometeu a construção de duas pontes sobre os rios Paraná e Paraguai.

Por sua vez, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, disse que a construção da linha de transmissão de 500 quilowatts, avaliada em cerca de R$ 400 milhões, possibilitará a geração de milhares de empregos e garantirá uma melhor qualidade de vida para a população do seu país. Os recursos para execução serão destinados pelo Brasil ao Fundo Estrutural do Mercosul (Focem), que por sua vez repassará em três parcelas ao Paraguai.

Lugo disse que a obra vai atrair muitos investimentos ao setor industrial e ressaltou que o seu país é atualmente um ótimo local para investimentos por parte dos empresários brasileiros. “Estamos convencidos de que o Paraguai é o país das oportunidades. Com energia poderemos ter uma produção mais eficiente. Temos que continuar fortalecendo a parceria com o Brasil nas áreas cultural, social e econômica, claro que respeitando a soberania de cada um, mas buscando uma vida melhor para nosso povo. É possível vislumbrar um futuro melhor”.(EJA)
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

QUATRO MORTES

Sobe para 21 o número de casos suspeitos de intoxicação por cerveja

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi
COOPERATIVISMO

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi

Confira o resultado final <br>do vestibular da UFMS
EDUCAÇÃO

Confira o resultado final
do vestibular da UFMS

Bolsa acentua alta no fim e renova máxima histórica, a 118.861,63 pontos
MERCADO FINANCEIRO

Bolsa acentua alta no fim e renova máxima histórica, a 118.861,63 pontos

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião