Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Bovespa sobe 0,18% e dólar comercial recua 0,16% para R$ 1,762

24 ABR 10 - 06h:09
São Paulo

A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) praticamente repetiu a dinâmica dos negócios na jornada de quinta-feira, mantendo-se em terreno negativo boa parte do dia de ontem mas registrando valorização, ainda que modesta, perto da conclusão dos negócios. O pedido da Grécia para acessar os US$ 60 bilhões do acordo UE-FMI trouxe pouco alívio para os agentes de mercado. E a proximidade com a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), internamente, reduz o apetite por risco dos investidores.
O Ibovespa, índice que reflete as oscilações de preço das ações mais negociadas, subiu 0,18% no fechamento, aos 69.509 pontos. O giro financeiro foi de R$ 5,25 bilhões. Nos EUA, o índice Dow Jones (da Bolsa de Nova York) subiu 0,63% na conclusão das operações.
Para analistas, enquanto não houver uma definição sobre os juros, a Bolsa de Valores deve oscilar sem uma tendência firme.
No mês passado, o Comitê manteve a taxa básica de juros em 8,75% ao ano. Na reunião da semana que vem, o mercado está dividido entre um ajuste para 9,25% ou 9,50%. A segunda corrente ganhou força ao longo desta semana.
Para a consultoria Austin Rating, o aumento deve ser de 0,50 ponto percentual. Olhando os juros projetados no mercado futuro (BM&F), os analistas avaliam que as taxas projetadas já incorporaram “boa parte do efeito de elevação da Selic, portanto, não sendo necessário maior vigor (alta de 0,75 ponto)”.
Na outra ponta, a corretora Convenção, indica ajuste de 0,75 ponto. “Dentre as incertezas do cenário, acreditamos representar hoje para o BC um risco maior dar pouco e tarde do que dar muito cedo”, avalia o economista-chefe Fernando Montero, em relatório econômico.
Dólar
O dólar comercial foi vendido por R$ 1,762, em recuo de 0,16%. A taxa de risco-país marca 176 pontos, número 1,12% da pontuação anterior. “Todas as notícias que vêm de fora têm gerado um desconforto muito grande no mercado (doméstico), aumento a aversão ao risco. Acho que muita gente se retraiu aguardando preços melhores, talvez contando que o dólar volte a R$ 1,74, como na semana passada’” comenta José Carlos Benites, gerente da corretora de câmbio Moeda.
Entre as principais notícias do dia, o primeiro-ministro da Grécia, Giorgos Papandreou avisou que o país já pediu a ativação do mecanismo de ajuda financeira, estabelecido pela União Europeia-FMI em 45 bilhões de euros (cerca de US$ 60 bilhões). A chanceler alemã Angela Merkel solicitou que o país apresente um programa “crível” de controle do déficit público para ter acesso aos recursos.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Considerada cidade do algodão, Chapadão do Sul comemora 32 anos de emancipação
FELIZ ANIVERSÁRIO

Considerada cidade do algodão, Chapadão do Sul comemora 32 anos de emancipação

Diretor de presídio federal diz que Name não precisa de ajuda
CRIME ORGANIZADO

Diretor de presídio diz que Name não precisa de ajuda

STF retoma julgamento sobre prisão após condenação em 2ª instância
BRASÍLIA

STF retoma julgamento sobre prisão após condenação em 2ª instância

Deputados cobram vistoria <br>contra incêndio em hospitais
RISCOS

Deputados cobram vistoria contra incêndio em hospitais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião