Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

COPA DO BRASIL

Bota vence Paraná e fica perto da vaga

30 MAR 11 - 21h:11g1

Antes do pontapé inicial de Paraná x Botafogo, na noite desta quarta-feira, no estádio Durival de Brito, Caio Júnior, emocionado, disse estar vivendo "um momento especial" em sua vida. Afinal, estreava no comando do Bota exatamente diante do clube que o projetou para o futebol brasileiro como treinador. E o primeiro capítulo no Alvinegro foi feliz para o técnico. Com uma postura ofensiva, apesar de atuar fora de casa, o time carioca venceu por 2 a 1 o jogo de ida pela segunda fase da Copa do Brasil.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 19h30m (de Brasília), no Engenhão. O Bota se classifica com vitória, empate ou até com derrota por 1 a 0. A equipe paranaense precisa vencer por gols gols. O ganhador do confronto enfrenta nas oitavas de final o vencedor do duelo entre Avaí e Ipatinga, que se enfrentam ainda nesta quarta.

Para o início de uma nova fase em sua carreira, logo contra o clube que classificou para a Libertadores com a boa campanha no Campeonato Brasileiro de 2006, Caio Júnior contou com a volta de quatro titulares: Jefferson (que estava na Seleção Brasileira) , Rodrigo Mancha, Everton e Herrera, que cumpriram suspensão na última rodada do Campeonato Carioca, diante do Boavista. Mas o time voltou a não contar com outros quatro atletas importantes: Loco Abreu, Arévalo (na seleção uruguaia), Lucas e Bruno Thiago.

Do lado do time da casa, o treinador Ricardo Pinto, goleiro do Fluminense nos anos 90, também contou com reforços: o meia Luiz Camargo e os zagueiros Rodrigo Defendi e Luciano Castán, liberados após cumprir suspensão. Mas seguiu sem poder escalar o meia Kerlon, que ainda tenta se recuperar de uma lesão muscular na coxa direita.

Caio Júnior manteve o meio-campo com três volantes (Marcelo Mattos, Rodrigo Mancha e Somália). Mas posicionou o último mais avançado, pela lado direito, dividindo a armação de jogadas com Everton. Revelado no Paraná, que trocou pelo Flamengo em 2008, o meia foi vaiado logo que tocou na bola, com 30 segundos de jogo. A primeira boa chance de gol da partida surgiu exatamente após uma tentativa de Somália pela direita. Herrera recebeu na entrada da área e chutou rente à trave, aos nove minutos.

Se com Joel Santana no comando, muitos torcedores - e até jogadores - reclamavam que o Botafogo tinha uma postura muito defensiva, o mesmo não ocorreu no primeiro tempo da 'gestão Caio Júnior'. O time visitante tomou a iniciativa. Aos dez, Márcio Rosário arriscou de longe. O goleiro Thiago Rodrigues não segurou, e defesa paranista afastou o perigo. A ousadia alvinegra foi premiada aos 15. Somália cobrou escanteio, e Antônio Carlos, ex-Atlético-PR, apareceu no meio da área para cabecear e mandar a bola no canto esquerdo.

A alegria do Bota, no entanto, durou apenas um minuto. O Tricolor paranaense respondeu na mesma moeda. Gol de cabeça de um zagueiro, no canto esquerdo, após cobrança de escanteio. Rodrigo Defendi empatou a partida.

O gol de empate e a chuva que apertou no Durival de Brito não mudaram o panorama da partida. Mesmo jogando em casa, o Paraná seguiu recuado, apostando em contra-ataques. E o Bota continuou mais incisivo. Antônio Carlos perdeu chance incrível aos 25, completando por cima na pequena área.

Se já passava por dificuldades na partida, o Paraná foi para o intervalo com um homem a menos. Aos 45, Luiz Camargo atingiu Herrera com uma cotovelada antes da cobrança de uma falta sobre a área. Alertado pelo auxiliar Rodrigo Figueiredo, o juiz Elmo Cunha expulsou o meia paranista. Mas não marcou o pênalti, porque a bola não estava em movimento.

Com um jogador a mais, Caio Júnior decidiu iniciar a segunda etapa com um atacante (William) no lugar de um volante (Rodrigo Mancha). E o jovem mostrou ter estrela. Logo com dois minutos, ele ajeitou de peito para Somália, que chutou forte de fora da área. O goleiro Thiago Rodrigues não segurou. William acreditou na falha do goleiro e completou a rede, marcando seu primeiro gol no segundo jogo como profissional.

Novamente, a alegria pelo gol virou preocupação. Um minuto depois da bola na rede, Somália fez falta em Diego. O volante já havia recebido amarelo e foi expulso.

Na zona de rebaixamento do estadual, o Paraná, mesmo com a igualdade de atletas em campo, seguiu sem criatividade, com grande dificuldade de armar jogadas. Irritando grande parte dos torcedores no estádio. A equipe insisita em infrutíferos cruzamentos sobre a área.

Ricardo Pinto decidiu mexer no Tricolor aos 29, quando mandou o atacante Marquinhos a campo no lugar do meia Lima.

Mas foi o Botafogo que esteve mais perto de eliminar o jogo de volta do que o Paraná de igualar o marcador. William quase balançou a rede novamente aos 31, mandando a bola rente à trave direita com um chute da entrada da área. Alessandro ainda perdeu outra chance aos 39, isolando uma bola no bico da área.

Nos minutos finais, o time da casa partiu para o desespero. Mas sem organização, não conseguiu o empate. Para a alegria do treinador que levou o time a uma inédita vaga na Libertadores. Mas que agora está do outro lado.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

INDEFINIÇÃO

STF adia julgamento sobre compartilhamento de dados da Receita com MP

Prisão sem prova fere lei para tentar exibir troféu, diz defesa de Temer
EX-PRESIDENTE

Prisão sem prova fere lei para tentar exibir troféu, diz defesa

NO TWITTER

Lava Jato não precisa de pirotecnia para sobreviver, diz Lula sobre prisão de Temer

Defesa de Temer pede habeas corpus ao TRF2
LAVA JATO

Defesa de Temer pede habeas corpus ao TRF2

Mais Lidas