Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

CHACINA

Bope e Batalhão de Choque ocupam Favela da Chatuba

11 SET 2012Por g106h:04

A onda de violência levou policias do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) a ocuparem a Favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense, no início da madrugada desta terça-feira (11).

Parte do efetivo foi levada para a comunidade em blindados dos fuzileiros navais.

As tropas se concentraram no quartel do Corpo de Bombeiros de Guadalupe no fim da noite desta segunda-feira (10), de onde seguiu em comboio até a favela, num percurso de cerca de 40 minutos.

A PM ainda não divulgou detalhes da operação. A ação é por tempo indeterminado. 

A ocupação foi rápida. Nao houve troca de tiros e os mais de 100 policiais se posicionaram em vários pontos estratégicos da comunidade. Não há ainda informações oficiais sobre presos ou apreensões, mas um homem teria sido preso logo no início da ação.

Traficantes da Chatuba são suspeitos das mortes de pelo menos oito pessoas no final de semana. Jovens que tinham entre 16 e 19 anos desapareceram no sábado (8), quando foram tomar banho em uma cachoeira da região e os corpos foram encontrados nesta segunda-feira nas margens da Via Dutra.

As investigações da polícia apontam para a participação de pelo menos 20 traficantes na chacina, segundo o delegado Júlio da Silva Filho, titular da 53ª DP (Mesquita). O delegado afirmou que, além do assassinato dos rapazes, os criminosos também seriam os responsáveis pela morte do pastor Alexandro Lima e de um aspirante a PM.

A polícia também investiga o desaparecimento de José Aldecir da Silva, que acompanhava o pastor na comunidade.

De acordo com o delegado, os seis jovens teriam sido mortos por morarem em uma comunidade pertencente à facção criminosa rival à dos traficantes da Chatuba.

Júlio da Silva Filho informou ainda que o pastor e José Aldecir teriam sido executados por não atender à ordem dos criminosos de se afastarem do local no momento da execução do PM. 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também